quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Novo vírus da gripe

Alerta
Novo vírus da gripe na Ásia é nova ameaça de pandemia
por PATRÍCIA JESUSHoje

Depois da pandemia de gripe A - ainda longe de estar terminada, alerta a OMS - os cientistas viram a sua atenção para outros vírus das aves capazes de infectar os humanos e gerar outras pandemias. Em Hong Hong, voltou a aparecer o H9N2.
O caso de uma menina chinesa de três infectada por um vírus da gripe que raramente afecta os humanos, o H9N2, está a preocupar as autoridades de saúde mundiais. É que este é um dos vírus das aves que os cientistas têm debaixo de olho como possível fonte de uma nova pandemia, logo a seguir ao mais conhecido H5N1, da gripe aviária.
As autoridades chinesas identificaram o H9N2 na criança, atendida num hospital de Hong Kong com sintomas de gripe. A menor teve alta a 11 de Dezembro e está completamente recuperada, mas o aparecimento do vírus fez as autoridades notificarem a Organização Mundial de Saúde (OMS).
É raro o H9N2 afectar humanos: desde 1999 só foram detectados sete casos, incluindo este. Todos tiveram pouca gravidade. Mas, mesmo assim, as autoridades de Hong Kong recomendam que se evite o contacto com aves de capoeira, o foco habitual destes vírus. Aliás, tal como o seu "primo" mais famoso - e também mais mortal - o H5N1.
Estas são as duas "ameaças" pandémicas que se mantêm desde os últimos anos do século XX e ambas vêm das aves, o grande reservatório natural dos vírus da gripe, explicou ao DN o virologista Jaime Nina. É isso que torna tão difícil o seu controlo e impossível a sua erradicação, conclui.
Assim, apesar da primeira pandemia do século XXI ter vindo do América do Norte, surpreendendo os cientistas, estes continuam atentos ao Oriente. A secretária-geral da OMS, Margaret Chan, reafirmou ontem que espera que o planeta nunca tenha de enfrentar uma pandemia de gripe das aves, para a qual não estamos preparados. É que, apesar de o H9N2 parecer pouco agressivo, o H5N1 mata cerca de 60% das pessoas que infecta: 263 pessoas desde 1997, segundo a OMS.
Felizmente, nem um nem outro arranjaram ainda maneira de se transmitir facilmente entre os humanos - uma capacidade fundamental para serem capazes de gerar uma pandemia.
Há nada menos nada mais do que 144 subespécies conhecidas de vírus da gripe, só do grupo A. O "nome" é dado pela caracterização das duas principais moléculas de superfície: a hemaglutinina (H), da qual são conhecidos 16 tipos; e a neuraminidase (N) da qual são conhecidos outros nove. Por exemplo, o vírus que causou a pandemia de 1918 era do tipo H1N1, tal como o da gripe A. Depois, os vírus são todos diferentes, tal como dois irmãos, da mesma família, explica Jaime Nina.
Hong Kong é um dos sentinelas mundiais para detectar vírus da gripe, porque está na Ásia, onde se iniciam normalmente as pandemias, tem uma grande concentração de população e de aves domésticas e a tecnologia necessária para isolar e identificar estes microrganismos.
FONTE:
DN CIÊNCIA

Entrevista a Teresa Nogueira

"O Governo abandona os nossos e verga-se à China"
por Hugo Coelho

No dia em que a China executou um doente mental britânico, a activista da Amnistia Internacional denunciou ao DN o caso de um português que está no corredor da morte.
A Europa foi incapaz de impedir a China de executar ontem um britânico. Há um português no corredor da morte em Cantão. Existe esperança para ele?
O anterior ministro da Justiça, Alberto Costa, afirmou em Macau que "Portugal não abandona os seus cidadãos". Desde então não sei de nada que tenha sido feito para salvar Lau Fat Wai. Espero que o Governo tenha vergonha e honre o compromisso. Geralmente abandonamos os portugueses para curvar, servilmente, as costas a Pequim.

O executado era doente mental. Houve quem dissesse que a China é um país da Idade Média...Qualquer execução é uma violência. A China não se preocupa com as circunstâncias. Executa pessoas por delitos menores, condena-as por confissões sob tortura. Não é um Estado de direito.

Acreditou que a execução seria suspensa no último momento?Acredito sempre. Mas a China está muito impermeável à pressão. Os Jogos Olímpicos foram um balão de ensaio. O mundo cedeu nessa altura. Hoje a China impõe o que quer e a comunidade internacional dobra a espinha. Enquanto não lhe fizer frente a China fará cada vez pior.

Pequim deixou que a família o visitasse na véspera da morte. Foi um sinal de compaixão?Pequim não tem compaixão. Quando muito estava a fazer uma falsa cedência ao mundo.

Como se vive no corredor?Muitos são acorrentados até ao dia de serem executados. Outros são bem tratados. Até vão ao médico. Porque logo que morram, tiram-lhes os órgãos para vender no estrangeiro. É um negócio. Israel fazia excursões de doentes, pagas pela segurança social, para irem fazer transplantes à China.

Londres fez muita pressão diplomática. Era possível fazer mais? A China só compreende uma linguagem. Ou boicotamos as cerimónias importantes - como será agora a abertura da Expo de Xangai - ou fazemos o comércio depender do respeito pelos direitos humanos.

Isso seria uma guerra aberta?A China também precisa de nós e só vai até onde a deixam ir. Quando os EUA fazem pressão libertam dissidentes, mesmo que a conta-gotas.Os EUA têm a pena de morte...Sim, é verdade. Neste assunto a Europa não pode contar com os EUA.

A pena de morte na China é uma questão cultural?Mais do que cultural, é uma questão autocrática. O comunismo continua a dominar o povo pelo medo.

FONTE:

DN GLOBO

http://dn.sapo.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1458482&seccao=%C1sia

EXECUÇÃO

Execução na China choca britânicos
por HUGO COELHO

Ignorando apelos internacionais, Pequim aplicou ontem a pena capital a um esquizofrénico detido desde 2007. Foi o primeiro europeu executado no país em 58 anos.
Akmal Shaikh viveu os seus últimos anos num mundo aparte. Houve um tempo em que, mal tendo que comer, prometeu começar uma companhia aérea. Depois gravou uma música chamada "Vem Cá, Pequeno Coelho" que - dizia ele - ia acabar com a guerra no mundo. Foi este britânico esquizofrénico que Pequim mandou executar ontem. Ignorando os apelos à clemência da comunidade internacional, os carrascos chineses deram a injecção letal a Akmal ontem de manhã numa cadeia de Xinjiang, no noroeste do país.
A notícia abriu uma guerra diplomática entre Londres e Pequim. Gordon Brown, o primeiro-ministro britânico, ficou "horrorizado". O ministério dos Negócios Estrangeiros britânico chamou o embaixador chinês ao Foreign Office.
A China é o país do mundo que mais aplica a pena de morte. De acordo com a Amnistia Internacional, em 2009, Pequim executou perto de 1 700 pessoas, dois terços do total mundial. Mas há 58 anos que o regime comunista não executava um europeu. Muito menos uma pessoa doente mental.
Akmal, 53 anos, que sofria de distúrbios bipolares, foi preso em 2007 pela posse de quatro quilos e 300 gramas de heroína. A filha contou que se deixou-enganar por traficantes de droga polacos que prometeram fazer dele uma estrela pop se transportasse uma mala de droga para a China.
O argumento não convenceu o tribunal de Urumqui, que o condenou à morte por tráfico de droga. As autoridades chinesas realçaram que a quantidade de heroína que trazia podia causar a morte a 26 800 pessoas.
Organizações de ajuda aos doentes mentais acusaram a China de viver nas trevas da Idade Média por ignorar que um doente mental tem uma percepção diferente da realidade. Imune às críticas, o supremo tribunal chinês, que tem a última palavra nestes casos, deu luz verde à execução ontem de manhã.
Tornar-se uma celebridade no mundo da música foi um dos últimos sonhos que guiou a vida de Akmal. Pai de três filhos, compôs Vem Cá Pequeno Coelho para trazer a paz ao mundo. No youtube pode ouvir-se o britânico a cantar a sua música: "Vem, Pequeno Coelho, vem ver-me, um só povo, um só mundo, um só Deus."
Akmal gravou o vídeo na Polónia, para onde fugiu em 2005, já doente. Antigo taxista de Camden Town, o bairro dos artistas nos arredores de Londres, Akmal era um homem "charmoso e carismático".
Quando o seu casamento terminou, em 2001, começou a mostrar os primeiros sintomas da doença que se agravou com o passar dos anos. Uma vez escreveu à namorada uma carta a dizer que tinha ganho um milhão de libras.
Ao Governo enviou um email em letras garrafais a dizer que tinha falado com o arcanjo Gabriel e que só não avisou dos atentados de 7 de Julho em Londres porque não o deixaram fazer uma conferência de imprensa.
FONTE:
DN GLOBO

MULHERES SOLDADOS/VIOLAÇÃO

Iraque
Violação é o principal risco para as mulheres soldados
por DN.pt

Foram feitas mais de três mil denúncias de violação em 2008. A grande maioria dos casos não chegou sequer a julgamento.
As mulheres soldados americanas no teatro de guerra iraquiano enfrentam outros perigos, além do risco de serem alvejadas pelos insurrectos sunitas ou pelos terroristas da Al-Qaeda.
Números revelados esta semana indicam que, só em 2008, foram apresentadas quase três mil denúncias de violação ou tentativa de violação por militares femininas pelos seus companheiros de armas. A maior parte destas denúncias são provenientes de mulheres soldado estacionadas em zonas de combate.
Uma investigação do Congresso apurou que a maioria das investigações termina sem que o caso seja levado a julgamento, devido à falta de provas suficientes. Dos mais de 2170 casos investigados em 2008, apenas 317 foram a tribunal militar.
As razões para esta situação resultam da absoluta falta de intimidade e da pressão psicológica que resulta da permanência em espaços restritos durante meses a fio, em estado de alerta quase constante e sem qualquer alternativas para os tempos livres.
Relações afectivas vindas do passado são também motivos invocados para as situações que terminam em violações. Por determinação superior, as mulheres estão proibidas de engravidar e de manter relações no Iraque. Determinação que se aplica também para o conflito afegão.
FONTE:
DN GLOBO

AMÉRICA LATINA

Bispo argentino é condenado por abuso sexual
Marcia Carmo
De Buenos Aires para a BBC Brasil
Advogado de Storni diz acreditar que bispo cumprirá pena domiciliar
A Justiça argentina condenou nesta quarta-feira o bispo católico Edgardo Gabriel Storni a oito anos de prisão por abusos sexuais cometidos quando comandava a arquidiocese da cidade de Santa Fé.
A juíza María Amalia Mascheroni condenou Storni "por abuso sexual agravado por sua condição de sacerdote" em um processo iniciado pelo ex-seminarista Rubén Descalzo em 2002.
Descalzo acusava o bispo de ter cometido os abusos no seminário e durante retiros espirituais em 1992.
"Ele me convidou a ir ao seu apartamento", disse o ex-seminarista em seu depoimento. "Quando cheguei, só havia uma luz acessa. Ele me deu um abraço longo e me beijou."
Histórico
Outros seminaristas realizaram denúncias semelhantes, mas elas foram arquivadas devido ao tempo entre o crime que teria ocorrido e o início do processo.
O caso envolvendo o ex-arcebispo ficou conhecido nos anos 1990 e gerou ainda mais polêmica no ano 2000, a partir de uma denúncia publicada no livro Nuestra Santa Madre (Nossa Santa Mãe), da jornalista Olga Wornat.
Dois anos mais tarde, o então arcebispo renunciou ao cargo e mandou uma carta ao papa João Paulo 2º negando as acusações.
Pouco depois, Storni foi substituído no posto de arcebispo da cidade de Santa Fé e seu pedido de aposentadoria foi atendido. Atualmente, ele mora em uma casa da Igreja na província de Córdoba.
O advogado de Storni diz acreditar que o ex-arcebispo deverá cumprir prisão domiciliar por ter mais de 70 anos de idade.
FONTE:
BBC BRASIL

Neurociências

Tecidos cerebrais 'in vitro' podem guardar certas memórias
por LUÍS NAVES

Uma investigação americana permitiu entender melhor a base das memórias de curto prazo. Os cientistas conseguiram criar padrões de actividade em células cerebrais 'in vitro', ou seja, em laboratório. Foi possível armazenar informação nesses tecidos por dez segundos. A descoberta abre caminho à compreensão da epilepsia e da doença de Alzheimer.
Cientistas americanos da Universidade de Case Western Reserve conseguiram manter padrões sustentados de actividade em tecidos cerebrais mantidos in vitro, ou seja, em laboratório. A descoberta terá implicações no futuro estudo da memória e das suas propriedades. Provavelmente, também no combate à epilepsia e à doença de Alzheimer. Apesar de tudo, a experiência evoca histórias da imaginação (geralmente distopias) sobre a separação entre cérebros e os respectivos corpos ou de ideias especulativas sobre a consciência humana.
A equipa, liderada por Ben Strowbridge, estava a estudar um certo tipo de neurónios, as células Mossy, que existem no Hipocampo, uma pequena zona no interior do cérebro geralmente associada à memória de longo prazo. Estas células (no caso, retiradas a ratos) conseguem manter-se activas em lâminas de tecidos cerebrais e estão danificadas em doentes com epilepsia.
Quando nestes tecidos foram colocados minúsculos eléctrodos, a actividade espontânea das células mostrou que estas se lembravam qual dos eléctrodos tinha sido usado anteriormente. Segundo os cientistas, as memórias duravam dez segundos, o mesmo que duram as memórias de curto prazo nos humanos.
Segundo Stowbridge, "a memória não era evidente numa única célula, mas numa população de células". O cientista explicou que, tal como acontece com as pessoas, as lembranças criadas em fatias de tecido cerebral tinham sido armazenadas em diferentes neurónios".
A complexidade da investigação exigiu quatro anos de trabalho e a base desta descoberta foi um estudo anterior, publicado em 2007 pela mesma equipa, que na altura elucidou a importância de um outro tipo raro de neurónio.
Esta investigação diz respeito apenas a uma das diferentes formas de memória, aquela a que os neurocientistas chamam a memória de trabalho, que geralmente dura dez segundos e que se dissipa para sempre. Nos humanos, há dois outros tipos de memórias, aquela que permite acumular factos (chamada declarativa) e outra que se concentra na aprendizagem de processos complexos, que envolvem várias etapas.
FONTE:
DN CIÊNCIA

ASTERÓIDE

Cientistas russos trabalharão para desviar asteroide
30/12/2009

Cientistas russos devem se reunir para trabalhar em um projeto que evite a colisão de um asteroide com a Terra, daqui a 26 anos. O asteroide, nomeado Apophis, tem 350 metros de diâmetro e, caso acertasse o planeta, criaria um deserto do tamanho da França.
A Nasa, no entanto, descartou a possibilidade de colisão. Segundo eles, o asteroide passará “perto”, mas a chance de atingir o planeta será de quatro em um milhão.
O cientista Anatoly Perminov, no entanto, espera contar com a ajuda dos Estados Unidos, China, Canadá e Europa na construção de um “aparato espacial” para desviar o asteroide de sua rota. “Não haverá explosões nucleares. Tudo será feito de acordo com as leis da física”, afirmou.

FONTE:

OPINIÃO E NOTÍCIA

http://opiniaoenoticia.com.br/vida/ciencia/cientistas-russos-trabalharao-para-desviar-asteroide/?ga=ds

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Desinfetantes

Desinfetantes podem tornar bactéria resistente a antibiótico, diz estudo
Uso indiscriminado de desinfetantes poderia criar ''superbactérias''
Usar desinfetantes faz com que um tipo de bactéria fique resistente a um antibiótico e ao próprio desinfetante, diz um estudo publicado na edição de janeiro da publicação científica Microbiology.
As revelações podem ter implicações importantes sobre a forma como é feito o combate das infecções hospitalares.

Os pesquisadores, da Universidade Nacional da Irlanda, em Galway, descobriram que quando se adiciona quantidades crescentes de desinfetantes a culturas da bactéria Pseudomonas aeruginosa, a bactéria gradualmente desenvolve a capacidade de se adaptar para sobreviver não apenas ao desinfetante, mas também ao antibiótico ciprofloxacina - mesmo sem ter sido exposta a ele.
O experimento demonstrou que as bactérias desenvolveram mecanismos que lhes permitiram expelir agentes como desinfetantes e antibióticos de si mesmas.
A bactéria adaptada também apresentou uma mutação no seu DNA que lhe permitiu resistir especificamente aos antibióticos do tipo ciprofloxacina.
Preocupação
A Pseudomonas aeruginosa é a bactéria que mais provavelmente infectará pessoas que já estão seriamente doentes.
Ela ataca particularmente aqueles com sistemas imunológicos debilitados, como portadores do vírus HIV, pacientes com câncer, diabéticos, pacientes com fibrose cística ou pessoas que sofreram queimaduras graves.
Para prevenir seu alastramento, as superfícies dos hospitais são tratadas com desinfetantes, mas se a bactéria consegue sobreviver e infecta pacientes, eles são tratados com antibióticos.
Bactérias capazes de sobreviver a ambos os desinfetantes e os antibióticos podem ser uma ameaça séria a pacientes de hospitais, alertou o estudo.
Nas altas concentrações em que os detergentes são normalmente aplicados, o surgimento dessas superbactérias é pouco provável, disse o autor do estudo, Gerard Fleming.
Mas "em princípio, resíduos de desinfetantes diluídos incorretamente e deixados nas superfícies em hospitais poderiam promover o crescimento de bactérias resistentes a antibióticos", disse Fleming.
"O que é mais preocupante é que a bactéria parece ser capaz de se adaptar para resistir a antibióticos mesmo sem ter sido exposta a eles".
Um número cada vez maior de estudos vem chamando a atenção para a relação entre o uso de desinfetantes e antissépticos e a resistência a antibióticos.
Uma pesquisa publicada neste ano mostrou que lenços umedecidos com desinfetantes usados para proteger pacientes contra a bactéria MRSA podem na verdade ajudar no alastramento do micróbio, porque a solução contida nos lenços é frequentemente insuficiente para matar todas as bactérias.
Além disso, funcionários de hospitais com frequência usam o mesmo lenço para limpar mais de uma superfície.
FONTE:
BBC BRASIL

cogumelo contra o câncer

Cientistas desvendam ação de droga tirada de cogumelo contra o câncer
O cordyceps é um cogumelo parasita que cresce em lagartas
Cientistas britânicos desvendaram como atua uma promissora droga contra o câncer, descoberta inicialmente em um cogumelo selvagem.
A equipe da Universidade de Nottingham acredita que seu trabalho possa ajudar a tornar a droga mais eficiente e útil para o tratamento de uma ampla gama de cânceres.
A cordicepina, comumente usada na medicina chinesa, foi originalmente encontrada em um raro tipo de cogumelo parasita que cresce em lagartas.
O cogumelo Cordyceps, também conhecido como cogumelo da lagarta, tem sido estudado por pesquisadores desde os anos 1950.
Porém apesar do potencial mostrado pela droga, ela era rapidamente degradada no organismo.
Ela pode ser administrada com uma segunda droga para evitar essa degradação, mas essa segunda droga pode provocar efeitos colaterais que limitam seu uso potencial.
Como consequência, os pesquisadores voltaram suas atenções para outras possíveis drogas contra o câncer, e a ação da cordicepina sobre as células humanas se manteve pouco estudada até hoje.
Tratamentos
“Nossa descoberta abrirá a possibilidade de investigar uma variedade de diferentes tipos de câncer que poderão ser tratados com a cordicepina”, afirma a pesquisadora Cornelia de Moor.
“Será possível prever que tipos de cânceres poderão ser sensíveis (à droga) e com quais outras drogas contra o câncer ela poderá ser combinada”, explica.
Segundo ela, “isso também pode servir como base para o desenvolvimento de novas drogas contra o câncer que atuam sob o mesmo princípio”.
Os pesquisadores também desenvolveram um método para testar o quão efetiva a droga é ao ser misturada com outras substâncias, o que poderá ajudar a resolver o problema da rápida degradação no organismo.
Proteínas
O estudo, publicado na revista especializada Journal of Biological Chemistry, observou dois efeitos sobre as células – em doses pequenas, a cordicepina inibe o crescimento descontrolado e a divisão das células, e em altas doses ela impede que as células se unam umas às outras, o que também inibe o crescimento.
Ambos os efeitos têm provavelmente o mesmo mecanismo por trás – uma interferência da cordicepina com a maneira como a célula produz proteínas.
Em doses baixas, a cordicepina interfere com a produção de RNAm (RNA mensageiro), a molécula que dá instruções sobre como montar uma proteína.
Em altas doses ela tem um impacto direto sobre a produção de proteínas.
“Este projeto mostra que podemos sempre voltar a fazer perguntas sobre a biologia fundamental de alguma coisa para refinar a solução ou resolver questões não respondidas”, afirma Janet Allen, diretora de pesquisa do Conselho de Pesquisas em Ciências Biológicas e de Biotecnologia, que financiou o estudo.
“O conhecimento gerado por esta pesquisa demonstra os mecanismos de ação da droga e poderá ter um impacto em um dos mais importantes desafios da área de saúde”, disse.
FONTE:
BBC BRASIL

ALEMANHA

Alemão decifra código que garante privacidade em celulares
Jonathan Fildes
Repórter de Ciência e Tecnologia da BBC News em Oxford

Um especialista em computação alemão anunciou ter decifrado o código secreto usado para proteger as conversas de mais de quatro bilhões de usuários de telefones celulares.
Trabalhando com outros especialistas, Karsten Nohl passou os últimos cinco meses tentando desvendar o algoritmo usado para codificar a tecnologia GSM.
A tecnologia é o padrão mais popular para redes de telefonia celular no mundo, e a descoberta permite que qualquer pessoa ouça conversas telefônicas privadas.
Durante o evento Chaos Communication Congress, em Berlim, na Alemanha, Nohl disse que seu trabalho demonstra que o sistema de segurança da tecnologia GSM é "inadequado".
"Estamos tentando informar as pessoas sobre essa ampla vulnerabilidade", ele disse à BBC News.
"Esperamos criar pressão e demanda adicional dos consumidores para uma codificação melhor".
A GSM Association (GSMA), entidade que criou o algoritmo de segurança usado no GSA e que supervisiona seu uso, disse que o trabalho de Nohl seria considerado "altamente ilegal" na Grã-Bretanha e em muitos outros países.
"Isso não é algo que levamos na brincadeira, de maneira alguma", disse uma porta-voz da associação.
Nohl, por sua vez, disse à BBC que consultou advogados antes de publicar seu trabalho e que acredita que o trabalho está dentro da lei.
Algoritmo
Nohl, trabalhando em associação com "algumas dúzias" de pessoas, disse ter publicado as informações que permitem a quebra do algoritmo A5/1, um código de segurança criado há 22 anos e usado por muitas empresas de telefonia celular.
Para quebrar o código, Nohl, que se define como um "pesquisador de segurança na ofensiva", usou redes de computadores para tentar "todas as possíveis combinações" para o código. Ele disse que havia trilhões de possibilidades.
Os resultados estão detalhados em uma vasta tabela, que pode ser usada para determinar a combinação do código usado para proteger uma conversa ou mensagem em texto.
"É como uma lista telefônica - se alguém lhe diz um nome, você pode procurar o número", ele disse.
Barateamento
Já era possível decodificar sinais GSM para ouvir conversas, mas o equipamento custa muito caro.
Segundo Ian Meakin, da empresa de codificação para celulares Cellcrypt, apenas agências governamentais e criminosos "com bom financiamento" tinham acesso à tecnologia necessária.
O especialista disse que o trabalho de Nohl representa para ele "uma imensa preocupação".
"Ele torna mais fácil para pessoas e organizações quebrar ligações GSM", disse Meakin à BBC.
"(O trabalho) coloca esses instrumentos e técnicas nas mãos de criminosos."
A GSMA, no entanto, disse que não há motivo para preocupação.
Segundo a entidade, houve "vários" trabalhos acadêmicos demonstrando como o A5/1 poderia ser prejudicado, mas "nenhum levou a um ataque na prática até agora".
A associação disse que já está trabalhando em uma versão melhorada do algoritmo, conhecida como A5/3.
FONTE:
BBC BRASIL

Oncologia

Descoberta proteína que protege células da quimioterapia
por DIANA MENDES

Um estudo publicado na 'Nature' abre a possibilidade de se silenciar dois genes associados a formas agressivas de cancro do sistema nervoso, travando a sua evolução. Outra investigação aponta que há proteínas que corrigem os erros do ADN, o que abre a porta a tratamentos mais eficazes e com menos efeitos secundários para todos os doentes.
Investigadores do Reino Unido encontraram uma forma de impedir a expansão do cancro ao mesmo tempo que se protege as células saudáveis dos efeitos da quimioterapia e se intensifica os seus benefícios. Os resultados foram publicado na Nature na última edição, a mesma em que foram publicados os resultados de um estudo que identifica os dois genes mais associados ao glioblastoma, o quarto cancro mais fatal.
Segundo os dados do primeiro estudo, há uma família de proteínas (small ubiquitin like modifier) que consegue reparar os estragos provocados no DNA e que estão associados ao aparecimento ou alastramento das células cancerígenas. Estas proteínas ligam-se às proteínas normais e conduzem-nas às zonas danificadas do ADN, corrigindo os erros genéticos.
Estas proteínas foram capazes de corrigir os erros mais graves, que afectam as moléculas em forma de dupla hélice. Depois de os corrigirem, as proteínas separam-se e seguem o seu caminho. Jo Morris, do King College London, que integrou uma de duas esquipas no estudo, diz, citado pela BBC News, que "este é o primeiro passo para desenvolver remédios que podem proteger as células dos efeitos secundários da quimioterapia ou aumentar a eficácia de tratamentos actuais, como os da mama".
Esta descoberta abre ainda a possibilidade de encontrar formas de combater o cancro, uma vez que o ADN pode ser reparado. Jorge Espírito Santo, presidente do colégio da especialidade de oncologia da Ordem dos Médicos, refere que o estudo abre perspectivas interessantes, uma vez que "a quimioterapia não dirigida provoca danos irreparáveis no ADN. Se proteger as células normais, teremos hipótese de tratar melhor, nomeadamente utilizando quimioterapia mais potente".
Por outro lado, se "se provar que os danos do ADN são corrigidos, deixaria de haver cancro", avança, salientando que estamos numa fase de "ficção. É um excelente caminho teórico".
Esta equipa de cientistas estudou o processo no gene BRCA1, um dos associados ao cancro da mama agressivo quando sofre mutações. E concluiu que reparando o gene é possível impedir a formação do cancro da mama.
Outra investigação, agora da Universidade de Columbia, identifica dois genes que estão associados a 60% dos glioblastomas, um dos cancros mais frequentes do sistema nervoso central. Os doentes que tinham os genes C/EPB e Stat3 activos morriam mais cedo. Quando estes genes foram silenciados nos genes do glioblastoma (em ratinhos), o cancro deixava de evoluir.
Vítor Gonçalves, neurocirurgião do Hospital de São José, diz que a descoberta "é importante nestes tumores, que afectam seis em cem mil pessoas (600 casos por ano). Apesar de representar perto de 2% dos cancros em doentes adultos é o quarto mais fatal actualmente, "com uma sobrevivência média de um ano, ano e meio".
No glioblastoma, sabemos que "há genes que são alterados e que conduzem à multiplicação celular demasiado rápida, conduzindo a cancros. Neste caso, as alterações surgem nos atrócitos, células de suporte que se multiplicam e evoluem para um tumor maligno".
Neste caso, sabemos que "quando um oncogénio é silenciado, a célula não se torna maligna. Mas não sabemos o que podemos estar a alterar. Pode até ser algo lesivo. Estamos perante um jogo de xadrez em que a doença faz sempre batota", alerta.
FONTE:
DN CIÊNCIA

MEMÓRIA

Descoberto mecanismo de reforço da memóriaInvestigação poderá ajudar a resolver problema na base da doença de Alzheimer.
Cientistas americanos podem ter resolvido um dos maiores enigmas do cérebro, ao esclarecerem o mecanismo que leva certas proteínas a reforçarem as sinapses, cimentando memórias.
O trabalho usou ratos de laboratório para tentar resolver um problema que tem intrigado os cientistas: as ligações entre os neurónios (as sinapses) são mais fortes quando há proteínas, mas no processo ocorre destruição proteica.
Investigadores da Universidade de Santa Bárbara publicaram na revista Neuron um estudo que sugere haver ligação entre a produção das proteínas que reforçam as sinapses e a presença de ARN, as moléculas que transportam a informação genética do núcleo para o resto da célula. O estudo sugere que existe uma molécula "silenciadora" do ARN, a qual se fragmenta quando ocorre uma experiência pouco usual, produzindo então as proteínas que vão reforçar a sinapse. A degradação de proteínas ocorre em simultâneo com a formação de novas proteínas, o que parece resolver o aparente paradoxo.
Os cientistas afirmam que esta investigação pode ter aplicações práticas nos tratamentos de doentes com Alzheimer e outras doenças associadas à fragilidade das ligações entre neurónios e à saúde das sinapses.
FONTE:
DN CIÊNCIA

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

ARGENTINA

Alerta por tormentas severas en medio de un intenso calor
La advertencia abarca la Capital Federal y gran parte de Buenos Aires; en la ciudad, la humedad será elevada y la máxima trepará hasta los 30 grados; pronóstico extendido
Lunes 28 de diciembre de 2009

El Servicio Meteorológico Nacional (SMN) emitió esta mañana una alerta por probables tormentas severas para la Capital Federal, el norte, centro y sudeste de Buenos Aires, centro y sur de Córdoba, sur de Entre Ríos, noreste de La Pampa, este de San Luis y sur de Santa Fe.
"Sobre el área de cobertura prevalece una masa de aire cálido, húmedo y muy inestable, dentro de la cual se están desarrollando tormentas de variada intensidad", informó el organismo.
"Se prevé que en las próximas horas estas tormentas se generalicen y afecten la totalidad del área, pudiendo algunas de ellas ser fuertes o severas, estar acompañadas de ráfagas de viento intenso, fuerte actividad eléctrica, abundante caída de agua y caída de granizo", describió. Pronóstico para la Capital Federal
En el marco de esas condiciones, en la ciudad la jornada se presentará húmeda con nubosidad variable y probabilidad de chaparrones y tormentas fuertes con ráfagas. Las temperaturas oscilarán entre los 23 y los 30 grados.
El tiempo inestable y la probabilidad de lluvias y tormentas persistirá mañana, aunque irá mejorando hacia la tarde, y habrá un leve descenso de la temperatura. La mínima será de 18 grados y la máxima trepará hasta alcanzar los 27.
En tanto, el miércoles el cielo estará algo a parcialmente nublado, con temperaturas muy similares al día anterior.
Las vísperas del año nuevo serán agradables, con nubosidad variable y una máxima de 27 grados, sin amenaza de lluvias.

FONTE:

LA NACION

http://www.lanacion.com.ar/nota.asp?nota_id=1216215&pid=7974220&toi=6268

Teerão

Ex-ministro e líder da oposição iraniana foi detido
por Lusa - Hoje

O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Ibrahim Yazdi, actual líder do Movimento de Libertação do Irão (MLI), da oposição, foi detido hoje de madrugada na sua residência, segundo um portal digital oposicionista.
"Membros dos serviços de segurança prenderam Yazdi às três da manhã, em casa dele, e levaram-no para local desconhecido", alerta o Rahesabz.
O líder do MLI, movimento da oposição ilegal, mas tolerado há vários anos, tinha sido chamado na semana passada ao Ministério dos Serviços de Informação mas não compareceu, adianta o site da Internet.
O Rahesabz, um dos principais fóruns da oposição ao presidente Mahmud Ahmadinejad, não avança mais informações.
Yazdi, de 78 anos, foi ministro dos Negócios Estrangeiros do efémero governo de Mehdi Bazargan, no início da Revolução islâmica de 1979.
Secretário-geral do MLI, movimento de orientação liberal, do qual vários membros foram detidos por diversas vezes, Yazdi foi também preso em 1997 antes de ser colocado em liberdade condicional.
Foi novamente detido durante os distúrbios que se seguiram à reeleição contestada do presidente Mahmud Ahmadinejad, a 12 de Junho passado.
FONTE:
DN GLOBO

Iraque

Xiitas celebram Ashura sem mais sangue que o da flagelação
por HELENA TECEDEIRO - Hoje

Três milhões de peregrinos encheram as ruas de Kerbala, entoando o nome do imã Hussein e lançando punhais contra a pele. Celebrações terminaram sem atentados graças ao esforço das forças de segurança iraquianas.
Ao som dos tambores, três milhões de iraquianos celebraram ontem o último dia da Ashura, a principal cerimónia para os muçulmanos xiitas. Enquanto desfilava pelas ruas da cidade santa de Kerbala, a multidão autoflagelava-se em sinal de arrependimento e entoava cânticos em nome de Hussein. É a morte do imã, neto do profeta Maomé, numa batalha em 680 que os peregrinos assinalaram, rodeados de medidas de segurança.
"Apesar das ameaças de vários grupos extremistas contra os fiéis, o plano de segurança funcionou na perfeição", garantiu á AFP Chirouan al-Waili, o secretário de Estado para a Segurança Nacional do Iraque. Pouco antes, Osmane al-Ghanemi, chefe das operações militares em Kerbala, explicou aos jornalistas que várias pessoas pertencentes a dois grupos ligados à Al-Qaeda foram detidas num raio de 40 quilómetros de Kerbala.
"Os terroristas queriam atingir os peregrinos e colocar várias bombas na principal estrada que leva a Kerbala. As nossas forças conseguiram desactivar nove e fizeram um excelente trabalho na protecção dos fiéis", garantiu al-Ghanemi numa conferência de imprensa. As cerimónias da Ashura terminaram por volta do meio dia sem que se tenham registado incidentes.
Este ano, 105 mil estrangeiros deslocaram-se à cidade santa para recordar Hussein, num dia de luto e reflexão. Naturais do Paquistão, dos Estados do Golfo e do Irão não hesitaram assim enfrentar a ameaça de atentados para satisfazer o seu fervor religioso.
Neto de Maomé, o imã Hussein foi morto pelas tropas do califa omíada Yazid durante uma batalha no deserto de Kerbala. Segundo a tradição, os peregrinos xiitas autoflagelam-se em sinal de penitência e arrependimento por não terem sido capazes de ajudar o seu imã.
"É uma honra homenagear Hussein. Já fiz isto cinco vezes. E acho que Deus me ouviu", explicou Abdul à AFP. Este xiita de 20 anos foi um dos milhões que ontem lançaram as lâminas dos punhais contra a sua pele nua. "Oh, Hussein! Oh, Hussein!", gritavam enquanto percorriam as ruas. E quando algum cai, exausto, logo os outros o mandam parar, não sem continuarem, eles próprios, a fazer jorrar das feridas o sangue, que vai escorrendo pelos seus rostos e pelas suas costas e deixa marcas vermelhas nas ruas. Nas mãos, são muitos os que carregam bandeiras pretas, vermelhas e verdes, bem como cartazes com a imagem de Hussein e do seu meio-irmão Abbas, ambos sepultados em Kerbala.
Para evitar incidentes durante os dez dias de celebrações da Ashura, a polícia e o exército iraquianos destacaram 25 mil elementos para a cidade xiita. O objectivo das autoridades era o de evitar a repetição dos ataques de extremistas sunitas, que no passado mancharam de sangue (mais do que aquele que já escorre pelos corpos dos peregrinos) estas celebrações.
À volta da cidade, foram criados quatro cordões de segurança e no seu interior os agentes concentraram atenções junto das mesquitas de Hussein e Abbas.
Para evitar atentados suicidas, como os que foram cometidos no passado por mulheres, "destacámos para as três entradas principais da cidade 600 elementos femininos dos serviços de segurança. Estas estavam encarregues de revistar todas as pessoas de sexo feminino que considerassem suspeitas", explicou al-Ghanemi. O chefe das operações militares em Kerbala adiantou ainda que enviara cães-polícias para o terreno e veículos munidos de detectores de explosivos.
Em Março de 2004, durante a Ashura atentados simultâneos fizeram 170 mortos e mais de 465 feridos em Bagdad e Kerbala.

Cada ser vivo tendrá su código de barras

Biodiversidad / Iniciativa de 50 países
Catalogarán millones de especies
Las identifican con un código de barras genético; comenzaron con las aves; participan científicos argentinos
Lunes 28 de diciembre de 2009

Cecilia Draghi Para LA NACION ¿Este filete de pescado es de merluza? ¿Estos mosquitos transmiten enfermedades? ¿Corresponden a especies protegidas estos huevos que contrabandistas planeaban vender al exterior? ¿Mis cultivos están afectados por alguna peste? Estas y muchas otras preguntas promete responder una técnica que identifica las especies por su ADN, es decir, las huellas genéticas únicas de cada ser vivo, de un modo más rápido y efectivo que los métodos tradicionales. Se trata de los códigos de barras genéticos.
"Se espera que identifiquen de modo más rápido y efectivo los organismos ya conocidos y que, por otro lado, ayuden a descubrir muchas de las especies que aún no han podido ser estudiadas. Los científicos describieron formalmente unos 1,7 millones de especies en el mundo, pero se calcula que el número real puede superar los 10 millones", precisa el doctor Pablo Tubaro, vicedirector del Museo Argentino de Ciencias Naturales Bernardino Rivadavia en la I Reunión de Biología Evolutiva del Cono Sur, realizada en la Facultad de Ciencias Exactas y Naturales (FCEyN) de la UBA.
Nunca fue fácil reconocer ante qué ser vivo el ser humano se topa en el planeta. Los taxónomos son los que tienen a cargo esta difícil tarea. "De estos expertos -precisa- hay pocos en los países periféricos, que suelen tener la mayor biodiversidad."
Además, algunas especies tienen aspectos muy similares y la gran mayoría sólo puede distinguirse recién en estado adulto. Por otro lado, ¿cómo reconocer qué espécimen de ave fue atrapado por una turbina de avión, si sólo quedan unos fragmentos y se han perdido los caracteres que permiten catalogarla? Estos son sólo algunos de los problemas habituales que este método apunta a solucionar.
"En 2003, el doctor Paul Hebert, de la Universidad de Guelph, en Canadá, propuso el uso de una porción de la secuencia de un gen como la secuencia de referencia que podría usarse como un código de barras genético -señala Tubaro-. Esas secuencias genéticas serían equivalentes a los códigos de barras para reconocer productos en un supermercado y permitirían identificar, nada más ni nada menos, que cada una de las especies en cualquier etapa de su ciclo de vida."
Al año siguiente, una organización de museos, universidades y laboratorios de todo el mundo creó el Consorcio del Código de Barras de la Vida (CBOL, por sus siglas en inglés), que integra la Argentina junto con medio centenar de países, para desarrollar este sistema genético de identificación de especies. Aves en la mira
Uno de los primeros proyectos a nivel internacional de CBOL fue estudiar las aves, dado que su taxonomía es la mejor conocida del reino animal y, por ende, permitía ser un banco de prueba para testear la exactitud de esta metodología. Este análisis se inició en distintas partes del mundo y también en la Argentina.
"En 2006, empezamos a obtener los códigos de barras genéticos de las aves de nuestro país, que son unas mil especies. Ya analizamos más de 500 y se demostró que este sistema puede identificarlas con más de un 98% de exactitud. Es decir, funciona muy bien", plantea Tubaro, que publicó estos estudios en PLoS ONE con un equipo de la Universidad de Guelph.
Lejos de descartar la labor de la taxonomía tradicional para la identificación y el descubrimiento de nuevas especies, el método "es complementario y no debe ser considerado una panacea que suprime otras herramientas", indica.
Con un miligramo de tejido, los científicos determinan la secuencia del código de barras genético de la especie y guardan esa información en una base de datos computarizada, como una gran biblioteca de la vida.
"El ejemplar testigo estudiado debe permanecer guardado en una colección permanente de museo junto con sus datos de colección, fecha, etcétera. Esto es muy importante porque permite constatar la identidad específica por métodos tradicionales todas las veces que sea necesario, lo que permite depurar errores de la base de datos", subraya.
Cuando la base de datos cuente con con las secuencias de referencia, la información se puede utilizar para identificar muestras incógnitas. "Si la secuencia de la muestra coincide con una de la base de datos, se obtiene una identificación. Pero si no se parece a nada conocido, puede ser el primer indicio de que se está ante una especie nueva", explica.
Entre las expectativas futuras se encuentra la de poder contar algún día con un aparato de bolsillo tipo escáner, "similar a un teléfono celular, donde al colocar una pequeña muestra de un organismo el lector de barras genético conectado con la base de datos permita determinar en segundos qué especie tengo en mi mano", expresa.
Con este identificador de código de barras genético portátil como una probabilidad futura, ya está en la mira el Proyecto Internacional de Código de Barras de la Vida (iBOL, por sus siglas en inglés), que planea catalogar 5 millones de especímenes de 500.000 especies en los próximos 5 años. "La Argentina ya está trabajando en aves, peces marinos y polinizadores, como las abejas silvestres en el norte argentino, entre otros. Se espera -ejemplifica- que el iBOL produzca los códigos de barras de 10.000 especies patógenas de importancia sanitaria."
Para el doctor Víctor Cueto, del Departamento de Ecología, Genética y Evolución de la FCEyN, el objetivo central del iBOL "es la creación de una biblioteca a escala global con los registros de los códigos de barras del ADN por especie".
En la Argentina, "además de los beneficios que se obtienen por participar de esta iniciativa, dio un nuevo impulso a los estudios sistemáticos y ayudó a reforzar el papel de las colecciones científicas como referencia de nuestro conocimiento de la biodiversidad del país. También, a través del Conicet, se generó un fondo iBOL Argentina que brinda financiamiento para colectar y preservar especímenes de referencia", agrega Cueto, investigador adjunto del Conicet y colaborador de la organización de una colección de aves características de los ambientes áridos del oeste del país.
Centro de Divulgación Científica de la FCEyN de la UBA
FONTE:
LA NACION

EQUINÁCEA

Defesas reforçadas
Estimular as defesas naturais do organismo é importante em qualquer altura do ano, mas mais ainda em tempo de constipações, gripes e outros problemas respiratórios.
Quando chegam os dias frios, são muitos os vírus que proliferam no ambiente que respiramos, ameaçando o sistema respiratório. São vírus que se propagam muito facilmente, depressa passando de um organismo já infectado para muitos organismos...saudáveis.
É assim que as infecções respiratórias se multiplicam, das constipações às gripes. Os sintomas são partilhados e visíveis em muitas pessoas com que nos cruzamos no quotidiano: espirros, nariz a pingar ou congestionado, tosse e dor de garganta, por vezes febre.
O incómodo é grande mesmo quando a doença é ligeira. Vale, pois, sempre a pena prevenir, o que se consegue reforçando as defesas naturais do organismo. O sistema imunitário funciona como um escudo que nos protege dos agentes infecciosos, entre eles os vírus e as bactérias. Em contacto com esses agentes, o organismo ergue barreiras que dificultam ou evitam mesmo o desenvolvimento da doença.
Mas a verdade é que, no Inverno, é difícil escapar aos problemas respiratórios. Mas é possível dar uma ajuda ao sistema imunitário, estimulando-o. É esse o benefício de substâncias naturais como o extracto de equinácea: trata-se de uma planta originária da América do Norte com reconhecidas propriedades terapêuticas.
Já usada pelos índios norte-americanos e conhecida dos europeus desde a década de 60 do século passado, a equinácea possui na sua composição substâncias activas como os flavonóides e os polissacáridos, que funcionam como estimulantes do sistema imunitário: contribuem para uma maior produção de anti-corpos e de leucócitos, os glóbulos brancos do sangue.
Possui ainda capacidades anti-virais, tendo sido demonstrada a sua eficácia no combate a infecções respiratórias, nomeadamente constipações: para melhores resultados, é conveniente a sua utilização na fase inicial de aparecimento dos sintomas.
À equinácea são igualmente atribuídas características antibióticas, o que significa que actua como um travão eficaz na progressão de infecções de origem bacteriana. É o caso das afecções da garganta, geralmente causadas por bactérias da família dos estreptococos.
Detém ainda capacidades anti-inflamatórias, na medida em que favorece a regeneração dos tecidos e a cicatrização de feridas. Este é um exemplo de aplicação externa deste extracto natural. Entre as situações que evoluem positivamente com a equinácea encontram-se a acne juvenil e o herpes labial. O mesmo efeito regenerador acontece quando a pele é alvo de picadas de insectos.
Esta planta tem ainda a vantagem de não ser tóxica; pelo contrário, estimula os processos de desintoxicação no fígado e nos rins.
Como qualquer outra substância, tem naturalmente algumas contra-indicações: não deve ser utilizada por pessoas com doenças auto-imunes como o lúpus eritematoso e a artrite reumatóide. Isto porque a sua acção de estimulante do sistema imunitário pode agravar os sintomas daquelas doenças.
Desde que os índios americanos começaram a utilizar a raiz de equinácea para tratar feridas infectadas e mordeduras de serpentes, têm-se multiplicado as investigações sobre esta planta visando conhecer o seu mecanismo de acção e possíveis aplicações terapêuticas.
FONTE:
MÉDICOS DE PORTUGAL

domingo, 27 de dezembro de 2009

LINHAÇA

Linhaça é super
Estudos quentíssimos mostram que a semente do linho é mesmo capaz de impedir o crescimento do câncer de mama. Mas existem macetes na hora do consumo que você precisa conhecer para tirar o melhor proveito desse superalimento. Estão todos aqui!
por REGINA PEREIRA
design ROBSON QUINAFÉLIX
foto SHEILA OLIVEIRA

Contam os arqueólogos que a linhaça era usada em mumificações no Egito. Outros achados apontam que era empregada com sucesso para tratar ferimentos. E, se antigamente fazia parte até mesmo de rituais, hoje ela marca presença nos laboratórios de grandes centros de pesquisa em nutrição. Na Universidade de Toronto, no Canadá, por exemplo, a cientista Lilian Thompson comprovou que a semente é capaz de barrar a metástase em pacientes com câncer de mama ou seja, a linhaça evitou que o tumor se espalhasse e tomasse conta do organismo.

Esse excelente resultado foi apresentado no 6° Simpósio Latino-Americano de Ciência de Alimentos, que aconteceu no mês passado na Universidade Estadual de Campinas, no interior paulista. Segundo a pesquisadora canadense, "trabalhos realizados em várias universidades mostram que a semente é capaz de diminuir o risco de outros tumores, como o de cólon e o de próstata". Somem-se essas boas notícias ao fato de a linhaça ajudar a controlar os níveis de colesterol.

Aqui no Brasil, mais precisamente na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, a equipe do Departamento de Nutrição também anda analisando a linhaça. O enfoque, entretanto, é outro. "Investigamos a segurança no consumo", conta a nutricionista Ana Vládia Bandeira Moreira. Explica-se: embora contenha substâncias capazes de prevenir doenças letais, o que faz dela um alimento funcional de primeira grandeza, a linhaça carrega compostos que poderiam interferir na absorção de nutrientes. Por enquanto o que se sabe é que o aquecimento da semente neutraliza esse inconveniente. Isso porque, segundo Ana Vládia, o calor diminui a atividade de algumas proteínas suspeitas de atrapalhar o aproveitamento de sais minerais. A sugestão é deixar a linhaça no forno baixo por 15 minutos. "Claro que, se ela for usada na preparação de receitas assadas, como pães ou biscoitos, não precisará disso", diz a pesquisadora, que continua mergulhada em seus estudos.

Outra dica para aproveitar ao máximo a semente é triturá-la no liquidificador. "É que a casca, bastante resistente, pode passar intacta pelo aparelho digestivo", justifica a farmacêutica bioquímica Rejane Neves-Souza, professora de nutrição da Universidade do Norte do Paraná. E aí as substâncias benéficas ficam impedidas de sair. "Mas tem que bater e comer logo, porque a linhaça é muito suscetível à oxidação", ensina o bioquímico Jorge Mancini Filho, da Universidade de São Paulo.

Os cientistas só não chegaram ainda a uma conclusão sobre a quantidade ideal de consumo. "Estamos em busca dessa resposta", suspira a nutricionista Ana Vládia. Quem dá bem a medida (sem trocadilho) da indefinição é a farmacêutica bioquímica Rejane Neves. Ela conta que já viu sugestões de porções as mais variadas de 25 gramas (1 colher de sopa bem cheia) até 45 gramas (quase 2 colheres) por dia. E comenta que alcançar esta última indicação é bem mais difícil. "A inclusão da semente no dia-a-dia deve ser gradativa".

DOURADA
É bem mais difícil encontrar a linhaça clara aqui no Brasil, já que ela aprecia climas frios. Geralmente é importada do Canadá. "Seu sabor é mais suave do que o da escura", descreve a farmacêutica bioquímica Rejane Neves-Souza, da Universidade do Norte do Paraná.

MARROM
A semente escura, nativa da região mediterrânea, já está adaptada ao solo brasileiro, onde se deu bem por causa do clima quente. Por isso é mais fácil encontrá-la por aí. Comparada com a dourada, a casca é um pouco mais resistente. Quanto aos nutrientes, não perde nada para a outra variedade.
Afinal, o que faz da linhaça um superalimento?
"Sua casca guarda um mix de proteínas, minerais e vitaminas", responde o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia. Vale destacar a vitamina E, que contribui para o funcionamento celular e, por isso, afasta o envelhecimento precoce e as doenças degenerativas.
Outros ingredientes que compõem sua poderosa fórmula são o ômega-3 e o ômega- 6, atuando em perfeita harmonia. Essa dupla, nunca é demais lembrar, garante a saúde cardiovascular. Afinal, ambos atuam na redução do LDL, o mau colesterol, responsável por estragos nas artérias. "Diversos trabalhos apontam a semente do linho como protetora do coração", reforça Jocelem Salgado, presidente da Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais e professora da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, em Piracicaba, interior paulista.
INGREDIENTE DE DESTAQUE
Entretanto, o que torna a linhaça ímpar pra valer atende pelo nome de lignana, substância que começa a sair do anonimato. Não é para menos. Ela praticamente faz as vezes do estrógeno. "Ao se ligar a receptores celulares, a lignana funciona como um falso hormônio", justifica a farmacêutica bioquímica Rejane Neves- Souza. É o que os especialistas chamam de fitoestrógeno. Aliás, foi justamente esse componente o mais mencionado nos trabalhos da canadense Lilian Thompson.
Segundo a pesquisadora, estudos com grande número de pacientes mostram a relação entre a lignana e a redução dos tumores de mama. Esse composto comprovadamente atua na apoptose celular, um mecanismo de defesa que provoca o suicídio das células defeituosas. O incrível é que, no caso do câncer, esse programa de autodestruição simplesmente não costuma funcionar. Mas a lignana topa a parada e ativa a contagem regressiva para a célula doente se explodir. E olha que nem os grandes centros de pesquisa conseguiram desenvolver a contento drogas com essa capacidade. "Observamos esse efeito em 39 pacientes", afirma Lilian, que as orientou a consumir 25 gramas de linhaça por dia durante pouco mais de um mês.
A observação desses indivíduos pela equipe da Universidade de Toronto foi rigorosa. A linhaça ressalta a pesquisadora só pode ser usada no tratamento do câncer sob estrita avaliação médica. E é bom que se diga: mesmo quem está saudável não está livre para ingerir o alimento à vontade. "O excesso pode prejudicar a membrana das células", avisa o nutrólogo Durval Ribas Filho. E para quem pensa em lançar mão de pílulas de óleo de linhaça, alto lá! "Ingerir cápsulas de suplemento, aí mesmo só sob orientação!", avisa Durval.
FONTE:
SAÚDE É VITAL

ANIMAIS




Clique Aqui - E-cards Plugpet.com.br


FONTE:
PLUGPET
http://www.plugpet.com.br/?c=16&categoria=33

sábado, 26 de dezembro de 2009

IMAGENS DO FRIO E NEVE

IMAGENS DE FRIO E NEVE

ALEMANHA
AMSTERDAM
BOLONHA
HUNGRIA
ALEMANHA
ITÁLIA
MUNIQUE
POLONIA
SUÍÇA
VENEZA
ALEMANHA
FONTE:
FOTOS.SAPO - PORTUGAL

Açores

Protecção civil dos Açores alerta para ventos até 130 km/hora
Hoje

As nove ilhas açorianas vão ser atingidas a partir da tarde deste sábado por ventos com rajadas que poderão chegar aos 130 quilómetros por hora, acompanhados de chuvas intensas, alertou o Serviço Regional de Protecção Civil.
Num alerta emitido ao princípio da tarde, a Protecção Civil açoriana indicou que o mau tempo se vai manter na Região até ao fim da manhã de domingo, prevendo-se, também, a ocorrência de trovoadas.
São ainda esperadas vagas de quatro a cinco metros nas ilhas dos grupos Ocidental e Central e de sete a oito metros em S. Miguel de Santa Maria (Oriental), acrescenta a Protecção Civil Açoriana.
O Instituto de Meteorologia mantém também o aviso amarelo para os Açores, por causa da previsão do tempo para as próximas horas.

FONTE:

TSF SAPO - PORTUGAL

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1456199

14 brasileiros feridos em ataque

Suriname
14 brasileiros feridos em ataque
por S.S.Hoje

Um grupo de 81 brasileiros foi atacado no Suriname, na noite de Natal, por moradores locais. Entre os 14 que ficaram feridos há uma grávida, que perdeu o bebé, segundo a embaixada do Brasil no país.
O incidente ocorreu em Albina, a 150 quilómetros de Paramaribo (a capital do Suriname), a principal porta de entrada para a Guiana Francesa, onde existe uma grande comunidade de brasileiros, que garimpam ouro do outro lado da fronteira.
O ataque terá surgido em represália pelo assassinato, às mãos de um brasileiro, de um "marron", como são conhecidos os descendentes dos escravos negros no país. "Esses marrons dominam aquela região. O assassinato de um deles desencadeou uma reacção muito forte e indiscriminada contra os brasileiros que estavam lá. Houve muita agressão, houve muitos feridos", disse o embaixador brasileiro, José Luiz Machado e Costa, citado pela Folha Online.
As autoridades locais já controlaram entretanto a situação, mas o embaixador duvida que os brasileiros queiram regressar. "Eles estão falando em chacina, em assassinato em massa, eles estão muito assustados", acrescentou.
FONTE:
DN GLOBO

Bispo irlandês

Bispo irlandês demitiu-se por ter encoberto abusos sexuais
O bispo da diocese irlandesa de Kildare e Leighlin, Jim Moriarty, de 73 anos, apresentou a sua resignação ao papa Bento XVI, por ter sido referido no relatório Murphy sobre o encobrimento de abusos sexuais, anunciou hoje o próprio, em comunicado.
DR
Moriarty dissera que se demitiria se isso servisse os interesses da Igreja e das vítimas

Bispo auxiliar de Dublin entre 1991 e 2002, já na semana passada Moriarty dissera que se demitiria se isso servisse os interesses da Igreja Católica e as vítimas dos abusos sexuais por parte de sacerdotes.
O relatório Murphy, publicado no mês passado, especifica que Jim Moriarty recebeu uma queixa sobre um padre que abusava de crianças e que, apesar disso, as autoridades arquidiocesanas não investigaram a fundo todas as actuações desse sacerdote, mencionado apenas pelo nome fictício de Edmondus.
Na sua declaração de hoje, o prelado nota que não foi directamente colocado em xeque pelo relatório, mas que aceita completamente a conclusão geral da comissão: as tentativas das autoridades eclesiásticas para evitar o escândalo tiveram terríveis consequências sobre as crianças abusadas.
"A partir da altura em que me tornei bispo auxiliar da arquidiocese de Dublin, deveria ter desafiado a cultura vigente", reconheceu agora Moriarty. Apresentou desculpas a todos os sobreviventes e às suas famílias, por se ter calado.
O padre "Edmondus" de que Moriarty recebeu uma queixa em 1993 já em 1960 abusara de uma criança, Marie Collins, que se encontrava hospitalizada.
"Todos eles sabiam o que é que estava a acontecer", disse hoje à rádio irlandesa essa mesma Marie Collins abusada, há 49 anos. "Um deles deveria ter-se erguido e dito que era preciso acabar com aquelas coisas".
Na verdade, porém, não foi isso o que aconteceu. E ao longo de décadas houve padres da arquidiocese de Dublin a abusar sexualnente de crianças indefesas, perante o silêncio da hierarquia católica, que quando muito ia mudando de paróquia os sacerdotes que não se comportavam de forma decente.
FONTE:
PÚBLICO - PORTUGAL

cardeal patriarca de Lisboa

Patriarca saúda todos os que acreditam em "Deus único"
O cardeal patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, saúda hoje na sua mensagem de Natal todos aqueles que acreditam no "Deus único", mesmo através de tradições religiosas diferentes.
"Temos muitas diferenças, mas temos algo em comum, a fé em Deus, ser supremo e amigo dos homens. A nossa fé, como a vossa, constitui um elemento decisivo para que esta nossa sociedade, por vezes tão desviada de uma dimensão grandiosa da vida, encontre o sentido da harmonia, da fraternidade e da paz", diz o cardeal na mensagem dirigida esta noite aos cidadãos via televisão e rádio.
"Saúdo os nossos irmãos judeus, membros do mesmo povo crente ao qual pertencemos, deles herdámos a beleza da Aliança, a ousadia dos profetas, a piedade orante dos Salmos, a certeza de que Deus intervém na nossa história", sublinha.
O cardeal saúda, também, "todos os irmãos" que acreditam no "Deus único, santo e misericordioso e que, como o povo bíblico, fundamentaram no encontro de Deus com Abraão o início da sua fé".
"Todos juntos havemos de contribuir para que Deus não seja excluído do nosso mundo e da nossa história",
lê-se no texto escrito pelo cardeal, realçando que "Deus existe e continua a amar a humanidade".
Segundo D. José Policarpo, nos últimos tempos tem-se falado muito de ateísmo: "Exprimiram-se ateus, pessoas e organizações, defendeu-se o direito de ser ateu e de exprimir a negação de Deus, manifestação da liberdade de consciência; deu-se a entender que não é o facto de os crentes acreditarem em Deus que faz com que Ele exista", mas "esqueceu-se a afirmação de que não é o facto de alguém não acreditar em Deus que faz com que Ele não exista", disse.
O Natal - prossegue - continua a trazer a todos uma mensagem de harmonia e de paz e ser crente ou descrente "não pode transformar-se em conflito, um motivo mais para as tensões e agressões mútuas entre os homens".
"Surpreendem-me as certezas apodícticas com que alguns proclamam o seu ateísmo. As próprias certezas da fé, sendo firmes, são humildes", declara o cardeal, realçando que o "Natal é o anúncio do amor inaudito de Deus pela humanidade, anúncio jubiloso, cumprimento de uma promessa e realização de um desejo do coração humano".
FONTE:
DN PORTUGAL

Estados Unidos

Tempestade de neve nos EUA provocou nas últimas horas 18 mortosUma tempestade de neve fez, nas últimas horas, pelo menos 18 mortos nos Estados Unidos. Por causa dos fortes nevões, milhares de pessoas passaram o dia retidas em aeroportos. Dois terços do país sofrem com a neve e permanecem em alerta máximo.
FONTE:
SIC.SAPO - PORTUGAL

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

VATICANO

Jornal do Vaticano elogia 'irreverência' de Os Simpsons
AE - Agencia Estado
quinta-feira, 24 de dezembro de 2009, 14:23
SÃO PAULO
O jornal L?Osservatore Romano, do Vaticano, elogiou na edição de terça-feira o desenho Os Simpsons, que acaba de completar 20 anos na TV, por seus questionamentos filosóficos e sua visão irreverente da religião. Intitulado "As Virtudes de Aristóteles e o Donut de Homer", o artigo diz que a animação, baseada em "textos inteligentes e realistas", abriu espaço para desenhos dirigidos ao público adulto. Segundo o jornal, seria possível criar uma "teologia simpsoniana" a partir da frequência com que a religião aparece no desenho, como "um espelho da indiferença e das necessidades que o homem moderno sente em relação à fé".]
FONTE:
O ESTADÃO

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Frank Garlock - MÚSICA

La música se vuelve POP Sesión 1 Parte 1 de 4 por Frank Garlock



FONTE:
YOUTUBE
http://www.youtube.com/watch?v=oXOx6Wg1GmY

La música se vuelve POP Sesión 1 Parte 2 de 4 por Frank Garlock



FONTE:
YOUTUBE

http://www.youtube.com/watch?v=05lWbyS_KQ4

La música se vuelve POP Sesión 1 Parte 3 de 4 por Frank Garlock



FONTE:
YOUTUBE
http://www.youtube.com/watch?v=ejvgwAXYiDA&feature=related

La música se vuelve POP Sesión 1 Parte 4 de 4 por
Frank Garlock



FONTE:
YOUTUBE
http://www.youtube.com/watch?v=cWmlX9mZCp8

Natal muçulmano na Alemanha

Natal muçulmano na Alemanha
Data de publicação : 24 Dezembro 2009 - 10:54am
Por Louise Dunne O Natal pode ser uma festa cristã, mas nem todos que o celebram são religiosos praticantes. Para muitos, esta festa é mais relacionada a uma reunião familiar, presentes e grandes jantares do que ao nascimento de Jesus Cristo. E com frequência muçulmanos que vivem em países cristãos também participam das festividades. Na Alemanha, por exemplo, Papai Noel pode até falar turco.
A grande maioria dos alemães se identifica como cristã, mas o país também tem cerca de três milhões de muçulmanos. E como eles vivem esta época de festas?
Ali veio do Iraque para a Alemanha há 13 anos, quando ainda era adolescente. Ele está estudando Engenharia e paga suas despesas com a universidade trabalhando em um mercado de final de semana em Berlim, no qual vende doces do Oriente Médio. Esta época do ano tem um significado especial para Ali porque ele e sua esposa se casaram no dia 24 de dezembro, dois anos atrás, mas sua participação na comemoração do Natal é limitada:
“Sou muçulmano, então não celebro o Natal. Uso os feriados para passar mais tempo com minha esposa e às vezes para ir ao mercado de Natal, estudar ou algo assim”, conta Ali.
O Natal hoje em dia é muito mais sobre presentes do que sobre religião. E isso traz problemas para famílias muçulmanas cujas crianças se sentem deixadas de lado quando veem seus amiguinhos cristãos ganharem tantos presentes. Idan Suer, filho de imigrantes turcos e professor de Sociologia em uma das universidades de Berlim, conta como uma amiga sua lida com a situação:
”A família dela e algumas outras famílias turcas se reúnem na noite de Natal e compram presentes para as crianças. Eles fazem uma versão turca do Natal, com música turca, comida turca e, é claro, o Papai Noel fala turco também. Não é uma coisa religiosa, é simplesmente uma forma de fazer as crianças felizes dando a elas pequenos presentes.”
Mas nem todos aprovam esta solução. Burham Kesici, vice-presidente da Federação Islâmica de Berlim, acredita que é importante delimitar a fronteira entre a esfera pública e a privada.
”Se amigos alemães o convidarem, então você pode celebrar com eles. Mas como muçulmano não é correto celebrar o Natal na esfera privada, com sua família, porque não é uma data islâmica.”
Kesici reconhece que é uma época difícil para os pais muçulmanos, mas ele acredita que eles devem resistir à pressão e explicar a seus filhos que o Natal – e os presentes associados a ele – não são parte da tradição islâmica. No entanto, ele diz, a popularidade da celebração do Natal já impregnou até a maneira com que os muçulmanos comemoram suas próprias festividades.
“No passado, nós não tínhamos o Ramadam como hoje. Agora fazemos grandes celebrações em várias instituições e compramos presentes para nossas crianças. Olhamos para o Natal cristão e resolvemos fazer a mesma coisa com nossas festividades.”
Trata-se de um desenvolvimento positivo, diz Burham Kesici, pois não só as crianças muçulmanas recebem os mesmos presentes que seus coleguinhas cristãos, mas estas grandes festas trazem uma maior consciência e colocam as celebrações islâmicas em maior evidência na comunidade como um todo.
FONTE:
RADIO NETHERLAND WERELDOMROEP
http://www.rnw.nl/pt-pt/portugu%C3%AAs/article/natal-mu%C3%A7ulmano-na-alemanha

Base espiã dos EUA em Curaçao?

Base espiã dos EUA em Curaçao?
Data de publicação : 23 Dezembro 2009 - 11:53am
Por RNW Radio Netherlands Worldwide
Map Willemstad, Antilhas Holandesas
O parlamentar holandês do Partido Socialista, Harry van Bommel, afirmou que aviões de espionagem dos Estados Unidos estão usando uma base aérea na ilha de Curaçao, nas Antilhas Holandesas.
Van Bommel perguntou ao ministro das Relações Exteriores da Holanda, Maxime Verhagen, se ele sabia que um Boeing RC-135 tem feito voos regulares de reconhecimento a partir do aeroporto de Hato (foto), na ilha caribenha, nas últimas semanas.Guerra contra as drogasOs voos foram a causa de uma reação furiosa do presidente venezuelano Hugo Chávez, na semana passada em Copenhague, quando acusou a Holanda de conluio com os Estados Unidos. O governo holandês estaria contribuindo para o aumento das tensões entre Venezuela e Colômbia, de acordo com as autoridades venezuelanas.
Parlamentar de oposição, Van Bommel disse que depende da Holanda ajudar a diminuir estas tensões. Ele pede que voos militares norte-americanos sobre a Colômbia sejam banidos das Antilhas. Estes voos são parte da ostensiva ‘guerra contra as drogas’ promovida pelos Estados Unidos, mas Van Bommel afirma que também são usados para uma ‘guerra contra as guerrilhas’. O parlamentar quer terminar com o tratado entre Holanda e Estados Unidos que permite que os norte-americanos utilizem bases aéreas em Curaçao e nas Antilhas para seus voos de combate às drogas.
US droneEnquanto isso, Hugo Chávez deu ordens a sua força aérea para derrubar qualquer avião dos Estados Unidos que entre no espaço aéreo venezuelano sem permissão. Numa declaração à televisão estatal, ele disse que um US drone, um avião não tripulado, teria tentado entrar a partir da Colômbia no último domingo.
Desde que os EUA assinaram um acordo com o governo colombiano, em outubro, o exército norte-americano tem acesso a sete bases militares na Colômbia.
*Foto via Wikimedia CC: by Alex
FONTE:
RNW - NEWS, ANALYSIS AND BACKGROUND IN 10 LANGUAGES, WORLDWIDE 24 HOURS A DAY, ON RADIO, TELEVISION AND THE INTERNET.
RADIONETHERLANDS WORLDWIDE - HOLANDA
http://www.rnw.nl/pt-pt/portugu%C3%AAs/article/base-espi%C3%A3-dos-eua-em-cura%C3%A7ao

Drogas

Álcool também é droga com efeitos "altamente perniciosos"
por Lusa

O presidente do Instituto da Droga e Toxicodependência (IDT) defendeu na segunda-feira que o álcool é também uma droga, cujo consumo intensivo tem efeitos "altamente perniciosos", havendo jovens com menos de 30 anos a quem foi detectada cirrose hepática.
João Goulão falava aos jornalistas no final da sua audição na Comissão Parlamentar de Saúde, onde apresentou o Relatório Anual sobre a Situação do País em Matéria de Drogas e Toxicodependências, que regista também, entre outros aspectos, um aumento das mortes por consumo de drogas em Portugal em 2008.
O relatório confirmou, igualmente, a tendência de Portugal funcionar como zona de trânsito do narcotráfico internacional, particularmente no caso da cocaína.
Quanto ao álcool, cujo consumo pelas camadas mais jovens é motivo de preocupação, o presidente do IDT alertou que se trata de uma das drogas "mais nocivas que circula entre nós", quando os padrões de consumo são intensivos, sendo hoje encontradas situações de cirrose hepática em jovens com menos de 30 anos, quando antigamente era uma doença das pessoas com mais de 50 anos.
João Goulão assume que o IDT está pronto a assumir o combate contra o problema do álcool e que já avançou com propostas concretas nesse sentido. Defendeu intervenções que levem à redução da oferta e da procura, sendo a primeira possível através do aumento da idade mínima a partir da qual é admissível a aquisição de álcool.
Tratamentos e outras medidas preventivas teriam um efeito na redução da procura, em articulação com outros serviços do Estado, indicou.
Questionado sobre o programa de troca de seringas nas prisões, João Goulão referiu que, apesar dessas trocas não se terem verificado nas experiências-piloto, houve reclusos que quiseram fazer tratamento à toxicodependência e que aquele programa pode ser reformulado.
Em sua opinião, a "grande pecha" foi a de não garantir de "uma forma blindada a confidencialidade", pelo que se percebe que os reclusos "não confiaram no sistema" para se assumirem como toxicodependentes, com medo que isso prejudicasse as saídas precárias.
O relatório hoje apresentando por João Goulão indica a cannabis como a substância ilícita com as mais elevadas taxas de prevalência de consumo em Portugal, seguida da cocaína e do ecstasy.
Quanto à heroína, "apesar de o consumo nos últimos anos ter vindo a perder visibilidade", continua a ser "a principal droga envolvida nos consumos problemáticos e a ter um consumo relevante entre a população reclusa nacional".
Em 2008, aumentou também o número de pessoas que recorreram às estruturas de tratamento" da toxicodependência, provavelmente "devido a uma maior e melhor articulação com as respostas no terreno", menciona uma síntese do relatório.
"A heroína continua a ser a substância mais referida como droga principal dos utentes em tratamento", apesar de "nos últimos anos" haver também "uma maior visibilidade" da cocaína, cannabis e álcool.
Em 2008 registaram-se 16 mortes causadas por dependência de drogas (de acordo com o critério da Lista Sucinta Europeia) e 20 casos de mortes relacionadas com o consumo de drogas (de acordo com o critério do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência).
Segundo o relatório, apesar de os números continuarem baixos, verifica-se desde 2006 um aumento do número destas mortes, contrariamente à tendência de decréscimo constatada nos anos anteriores.
FONTE:
DN CIÊNCIA