segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

bioimpressora

Cientistas dos EUA apresentam projeto de bioimpressora, que pretende imprimir tecido humano
 Máquina ainda está em desenvolvimento, mas pode começar a ser usada em apenas cinco anos. Equipamento vai curar ferimentos e queimaduras de pele imprimindo novo tecido no paciente
Redação Época
Pesquisadores da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, estão desenvolvendo uma bioimpressora, máquina que será capaz de imprimir material biológico humano, como a pele. O intuito é desenvolver uma forma de curar rapidamente ferimentos, principalmente os cortes e as queimaduras sofridas durante as guerras, que precisam ser tratados rapidamente.
O estudo é desenvolvido por um grupo de cientistas do Instituto Wake Forest de Medicina Regenerativa, e foi inspirado nos sistemas encontrados nas impressoras comuns. Em palestra no encontro anual da Sociedade Americana para o Avanço da Ciência (AAAS, na sigla em inglês), o pesquisador Vladimir Mironov, da Universidade Médica da Carolina do Sul, disse que “a impressora usa uma tinta que parece um gel que contém células humanas misturadas a ele”.
O diretor do Instituto Wake Forest, Anthony Atala, disse que o projeto ainda está em fase de desenvolvimento, e que pode levar ainda cinco anos para que possa começar a ser usado no tratamento de pessoas queimadas ou feridas, mas esse já é considerado, pela AAAS, um dos mais importantes estudos já apresentados.
No último domingo (20), a Sociedade se reuniu em Washington, aonde foi apresentado, pela primeira vez, o protótipo da impressora, chamado de Fab@Home 3D. Os pesquisadores imprimiram, no evento, um modelo feito de silicone da cartilagem de uma orelha humana. Segundo os cientistas, a impressora contém ainda um sistema que escaneia e identifica os ferimentos para depois reconstruir, camada após camada, o material biológico.
A impressora biológica possui um componente tridimensional que “imprimirá” pele nova com facilidade em ferimentos. O processo tem várias etapas: primeiro tira-se uma pequena amostra da pele do paciente, depois os médicos separam o material biológico da amostra e colocam as células para se multiplicarem in vitro.
“Nós expandimos as células em quantidades altas. Depois que fizermos essas novas células, o próximo passo é colocá-las no cartucho da impressora e imprimí-las no paciente”, disse Atala à CNN.
As pesquisas ainda estão utilizando apenas tecidos biológicos mais finos, mas os pesquisadores já estão focados na recuperação da pele em ferimentos profundos e mais complexos, como queimaduras. Ainda falta muito, porém, para que a bioimpressora possa ser utilizada nos hospitais para recuperar pele humana.
“A pele é um dos principais tecidos biológicos que nós tentamos implementar na impressora para os pacientes”, disse James Yoo, professor do Instituto de Wake Forest. O diretor do Instituto garantiu que o intuito da pesquisa é beneficiar a medicina civil também, e afirmou que os cientistas já conseguiram recriar pele humana saudável em laboratório.
Um vídeo da apresentação dos pesquisadores no Seminário da AAAS está disponível no Youtube. Confira abaixo.

Ásia

Polícia liberta mulheres grávidas de 'fazenda de bebês' na Tailândia
Marina Wentzel
De Bangcoc para a BBC Brasil
Companhia tinha site onde serviços de barriga de aluguel eram vendidos
A polícia tailandesa desbaratou uma operação de tráfico de pessoas que vendia pela internet o serviço de barriga de aluguel e mantinha as grávidas confinadas num sítio em Bangcoc.
Oficiais do departamento de imigração prenderam 13 mulheres vietnamitas em uma casa na região de Ramkhamhaeng na quarta-feira.
Sete estavam grávidas e uma outra teria dado à luz na segunda-feira em um hospital no distrito de Min Buri.
Elas vinham sendo mantidas por chineses de Taiwan que administravam o negócio considerado ilegal.
Algumas mulheres disseram que aceitaram servir de barriga de aluguel devido à promessa de pagamento de US$5,5 mil (cerca de R$ 9,1 mil), mas foram enganadas e tiveram seus passaportes apreendidos pela organização, informou a imprensa local.
Pela internet
O esquema funcionava através de vendas na internet. O site http://www.baby-1001.com cobrava pelo serviço de gestação e prometia privacidade total aos usuários.
A organização funcionava como uma companhia, como uma "fazenda produtora de bebês" e a polícia chegou a intimar um executivo da firma, Siang Lung Lor, em um escritório em Bangcoc.
A operação da empresa foi descoberta depois que quatro mulheres contactaram a embaixada vietnamita em Bangcoc denunciando a exploração.
O pagamento pelo serviço de gestação é proibido na Tailândia pelo código de ética médico e pela regulamentação hospitalar.
Os envolvidos poderão responder por tráfico de seres humanos e outros crimes relacionados à natureza ilegal da fertilização e das gestações.
No entanto, não está claro qual será a possível pena enfrentada pelos acusados, pois leis que tratam de questões relacionadas à concepção artificial e barriga de aluguel ainda aguardam votação final no Parlamento tailandês.
O ministro de Saúde Pública Jurin Laksanavisit disse ao jornal The Nation que o caso é uma prioridade do governo.
"Precisamos encarar com seriedade essa questão, se não a Tailândia se tornará um lugar conhecido pelo tráfico de barrigas de aluguel", afirmou .
FONTE

Aparelho digestório

‘Segundo cérebro’pode ter influência em ânimo
Segundo pesquisas, existe uma conexão entre o 'segundo cérebro' e o de verdade, o que ajuda a determinar o estado emocional
26/02/2011
A estimulação do nervo que conecta o cérebro com o intestino pode ajudar na depressão (Fonte: Corbis)
A ansiedade e o nervosismo podem causar muito mais do que a sensação de ‘frio na barriga’, podem ser também a explicação de como o funcionamento do aparelho digestório influencia nossos sentimentos.
De acordo com o pesquisador Michael Gershon, da Universidade de Columbia, existe um segundo cérebro no corpo humano, chamado de sistema nervoso entérico. Ele está localizado nas paredes do tubo intestinal e contém cerca de 100 milhões de neurônios.
Esse “pequeno cérebro” tem uma conexão direta com o cérebro de verdade e ajuda a determinar o estado mental do indivíduo. Doenças como a inflamação intestinal e a prisão de ventre afetariam o ânimo das pessoas, de acordo com a pesquisa.
“O sistema nervoso entérico fala ao cérebro e este órgão responde. O intestino pode afetar o estado de ânimo, e a estimulação do nervo principal, chamado vago, que conecta o cérebro com o intestino, pode ajudar a aliviar a depressão e a tratar a epilepsia”, explica Gershon, autor do livro ‘The Second Brain’.
De acordo com outro estudo, conduzido por cientistas canadenses, a flora intestinal também se relaciona com a conduta e a memória.
Segundo Stephen Collins, da Universidade McMaster em Ontário, as bactérias que formam a flora intestinal são capazes de se comunicar com o cérebro, além de ter um papel importante no combate a algumas doenças digestivas.
Collins e sua equipe conduziram uma série de experimentos com ratos de laboratório e constataram diversas mudanças quando esses animais tinham contato com bactérias. Os cientistas comprovaram que as mudanças de conduta dos ratos se relacionam com mudanças na química cerebral.
“As mudanças nas bactérias poderiam explicar, em grande medida, os problemas físicos e de conduta sofridos pelas pessoas afetadas pela síndrome do intestino irritado, uma doença inflamatória intestinal”, explicam os cientistas. Entre 60% e 80% das pessoas afetadas pela síndrome sofrem também de estresse, ansiedade e depressão.

la meningitis

Los síntomas de alarma de la meningitis
BBC Ciencia
Se piensa que el dolor de cabeza, la palidez y manos y pies fríos son los signos prematuros de la meningitis en niños pequeños, pero no así, aseguran expertos.
Los médicos y los padres deben saber que el dolor de pierna, la confusión, la rigidez de la nuca y la sensibilidad a la luz en los niños son los signos de alarma de la infección, afirma el estudio publicado en la British Journal of General Practice (Revista Británica de Medicina General).
                                             
La meningitis puede ser causada por una infección bacteriana o viral.
La clásica erupción en la piel aparece mucho más tarde durante la enfermedad, agrega la investigación que analizó 1.200 casos de meningitis en Inglaterra.
Esta enfermedad consiste en una inflamación de las meninges, las membranas que recubren el cerebro y la médula espinal y por lo general es causada por una infección bacteriana o viral.
Aproximadamente uno de cada diez pacientes que sufren la afección mueren, principalmente debido a un diagnóstico tardío.
Como el trastorno progresa con mucha rapidez, el diagnóstico y el tratamiento precoz son esenciales para prevenir complicaciones graves y la muerte.
Cuatro signos de alarma
La investigación, llevada a cabo por el Colegio Real de Médicos Generales del Reino Unido, encontró que la mitad de los niños con la enfermedad fueron inicialmente mal diagnosticados, quizás debido a que los síntomas más conocidos, como la erupción en la piel, aparecen en las etapas posteriores de la infección.
El estudio comparó los síntomas iniciales de 1.212 casos en niños de entre 22 meses y seis años, que se presentaron a 15 clínicas de medicina general en Oxford y Somerset, Inglaterra.
Los investigadores descubrieron que sólo cuatro síntomas -la confusión, la fotofobia (sensibilidad a la luz), la rigidez de la nuca y el dolor de piernas- pueden ser considerados "signos de alarma" de esta enfermedad.
Según los autores, el dolor de cabeza y la palidez son menos comunes en los niños con enfermedad meningocóccica que en los menores con infecciones leves.
Tal como señala Sue Davie, presidenta ejecutiva de la organización británica Meningitis Trust, "cualquier cosa que nos ayude a obtener un diagnóstico temprano es una buena".
Es muy importante que los padres confíen en sus instintos y no duden en buscar ayuda médica, incluso cuando el niño ya ha sido visto por un doctor y sus síntomas empeoran
Prof. Chris Head, Meningitis Research Foundation
Sin embargo, advierte que como este consejo está dirigido principalmente a los médicos generales, los padres no deben ignorar otros síntomas igualmente importantes.

"Obsesionados" con la erupción
"Siempre me muestro cautelosa sobre el hecho de centrarse en uno o dos síntomas, porque los padres necesitan estar muy alertas ante todos los signos", dice la experta.
"Por ejemplo, todos parecemos estar obsesionados con la erupción y más de 35% de las personas informa que no tomaría ninguna medida si no se presenta una, y esto puede ser letal".
                                    
 La erupción a menudo es un síntoma de meningitis en etapas avanzadas.
Por su parte Chris Head, presidente ejecutivo de Meningitis Research Foundation, comenta: "Se trata de un paso importante que nos permite el reconocimiento temprano de estas enfermedades. No todas las personas con meningitis y septicemia (cuando la bacteria entra en la corriente sanguínea) presentan todos los síntomas".
"Los niños con septicemia quizás no muestran rigidez en la nuca o sensibilidad a la luz brillante. Y los pequeños con meningitis podrían no presentar una erupción", añade.
"Por eso, es muy importante que los padres confíen en sus instintos y no duden en buscar ayuda médica, incluso cuando el niño ya ha sido visto por un doctor y sus síntomas empeoran", advierte Head.
En la meningitis bacteriana -que suele ser la más grave-, los síntomas progresan con mucha rapidez, a menudo horas, mientras que los síntomas de la meningitis viral pueden tardar un par de días en desarrollarse.
Aunque ambas enfermedades pueden ocurrir a cualquier edad, los bebés y los niños pequeños están en mayor riesgo de una infección meningocóccica y el segundo grupo en riesgo son los jóvenes de entre 15 y 24 años.
FUENTE

Oriente médio

Chegada de mil refugiados por hora gera caos na fronteira Líbia-Tunísia
Pelo menos mil refugiados por hora, a maioria deles trabalhadores egípcios, estão chegando à fronteira líbia com a Tunísia, fugindo dos confrontos na Líbia envolvendo oposicionistas e partidários do líder, Muamar Khadafi.
Cerca de mil egípcios chegam a cada hora na fronteira com a Tunísia
Segundo o correspondente da BBC Jim Muir, o fluxo de migrantes está criando caos na região.
O repórter disse que um grupo de jovens tunisianos protestava nesta segunda-feira contra a chegada de mais imigrantes, e os egípcios reclamavam da falta de ações do seu próprio governo para amenizar a situação.
Segundo a ONU, mais de 100 mil pessoas buscaram refúgio nas fronteiras da Líbia com a Tunísia e o Egito na última semana.
Acampamento
A Agência de Refugiados das Nações Unidas (UNHCR) anunciou a preparação de um campo de trânsito para abrigar pelo menos 10 mil pessoas provisoriamente entre a Líbia e a Tunísia.
Em comunicado, a Agência disse ainda que quarenta voos e alguns navios deverão evacuar alguns dos que estão na fronteira.
O porta-voz da UNHCR Firas Kayal disse à BBC que precisaria de ajuda para repatriar os refugiados.
“Até agora está sobre controle. No entanto, os números estão aumentando e a capacidade da comunidade local de absorver estes números está chegando ao limite”, disse.
“Há uma necessidade urgente de que os governos destes cidadãos mandem aviões ou navios, ou qualquer meio de transporte, para levá-los para casa.”
Segundo Kayal, as autoridades da Tunísia informaram que, até a manhã desta segunda-feira, cerca de 55 mil pessoas teriam cruzado a fronteira desde o dia 20 de fevereiro.
No Egito, estima-se que quase 60 mil tenham atravessado a fronteira desde o último dia 19.
Insegurança
Além de egípcios, números significativos de vietnamitas e cidadãos de Bangladesh, que também trabalham na Líbia, estariam tentando cruzar as fronteiras.
A Organização Internacional de Migração estima que 1,5 milhões de imigrantes irregulares da África e da Ásia trabalhem na Líbia.
Desde então, cerca de 110 mil pessoas fugiram para as fronteiras com a Tunísia e com o Egito.
O alto comissário de Refugiados da ONU, António Gutierres, pediu que os governos considerassem as necessidades de todas as pessoas vulneráveis e não só dos seus próprios cidadãos.
“Muitas destas pessoas se sentem ameaçadas e com medo, e não tem recursos”, disse.
“Africanos parecem correr mais riscos, porque eles estão sendo associados com mercenários estrangeiros. Estamos com receio de que eles não consigam chegar a um local seguro.”
Durante os protestos, houve rumores de que o governo líbio teria contratado mercenários vindos da África subsaariana para disparar contra manifestantes pacíficos.
FONTE

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Superando as adversidades

Superando as adversidades
extraido do blog 7online

“Não são revoluções e motins que limpam a estrada para dias novos e melhores, mas uma alma inspirada e em chamas.” Boris Pasternak
Muitos estudos têm sido realizados para descobrir como e por que algumas pessoas reagem com otimismo e perseverança em momentos críticos da vida. Para analisar esse fenômeno, partiremos de um conceito oriundo da física, o termo resiliência, que se refere à propriedade de que são dotados alguns materiais de acumular energia quando submetidos a estresse, sem ocorrer ruptura. O cientista inglês Thomas Young foi um dos primeiros a usar o termo, em 1807, em experiências para estudar a relação entre a tensão e a deformação de barras metálicas. Chegou à conclusão de que resiliência é, portanto, a capacidade de um material voltar ao seu estado natural depois de ter sofrido tensão. A psicologia pegou o termo emprestado da física, tentando definir o que acontece com algumas pessoas ao lidarem com problemas, superando obstáculos ou resistindo à tensão em situações adversas. Para alguns estudiosos, e eu me identifico com essa posição, resiliência em psicologia é a habilidade de superação, o que não significa sair ileso de uma crise, pois o sofrimento deixa suas marcas, mesmo que não sejam aparentes. Portanto, pessoas resilientes são aquelas que sofrem, mas conseguem adaptação em momentos complicados, tensos e sem perspectiva de melhores condições.
Em qualquer aspecto da vida, pessoas com estrutura emocional sólida conseguem melhores resultados. As emoções bem conduzidas são componentes importantes e fundamentais para a qualidade de vida. Um dos fatores importantes é desenvolver uma visão lúcida do que acontece conosco e ao nosso redor. A autopercepção é definida como o conhecimento de si próprio, reconhecimento e aceitação de sua história até nos pontos mais traumáticos. Esse é o princípio da maturidade e da boa saúde emocional, pois é comum querermos esquecer momentos que nos trouxeram infelicidade; relembrar às vezes traz más recordações, mas é imprescindível reconhecer essa dor e lidar com ela de maneira corajosa.
O segundo ponto fundamental é o autocontrole: capacidade de equilibrar as próprias emoções. Em outras palavras, é o controle dos pensamentos, algo que nunca podemos perder de vista, pois isso influencia todos os outros mecanismos da mente. Se você conseguir se conhecer bem, será muito mais fácil controlar ou prever um risco de descontrole emocional. Na prática, é importante nunca se colocar na posição de vítima, sempre manter a calma e relembrar todas as situações passadas que foram resolvidas mesmo quando não se tinha uma solução aparente.
E, por fim, mas não menos importante, a automotivação: capacidade de motivar a si mesmo a realizar tarefas e ações necessárias para alcançar seus objetivos, independentemente das circunstâncias. É bom ter ao nosso redor pessoas que nos motivem, mas não podemos depender desse estímulo para tomar nossas decisões. Automotivação é um compromisso primeiramente com Deus, pois Ele já nos deixou promessas de vitória, e em segundo lugar consigo mesmo, porque certas coisas ninguém poderá fazer por você. O propósito de vida é o que nos dá a automotivação; manter o foco faz com que permaneçamos em nosso caminho, pois nos lembraremos sempre de aonde queremos chegar.
Não é fácil desenvolver todos esses mecanismos no dia a dia, quando tudo acontece tão rapidamente. Mas se os três princípios forem lembrados a cada situação difícil, com certeza em pouco tempo se tornará um hábito pensar dessa maneira. Nosso Deus é um Deus de ordem e coerência, por isso é necessário buscar padrões de organização para nossa vida, para não nos desestabilizarmos no primeiro problema. Para ser aquele que demonstrará fé e perseverança será necessário desenvolver um sistema de crenças no qual deveremos atribuir sentido à adversidade (para que estou passando por isso?), buscando o olhar positivo na provação.
A Bíblia nos relata histórias de pessoas que conseguiram resultados surpreendentes por confiar em Deus. Um exemplo é José (Gn 37), alguém que teve a vida repleta de provações, cresceu em meio à adversidade, e se tornou virtuoso e sábio mesmo recebendo influências ruins. Ele não ficou amargurado e nem se ressentiu contra Deus, pelo contrário, buscou um tipo de fé diferente que o transformou em uma bênção para todos os que conviviam com ele. A história de José nos mostra que Deus nos dá capacidade e força para poder aguentar o sofrimento, e que sempre há um propósito – a dor nunca é desnecessária para Seus filhos.
Em meio às turbulências da vida, temos a oportunidade de nos mostrar firmes, pois estamos sendo observados na maneira como nos conduzimos. Que tipo de exemplo você quer deixar? José em seu domínio próprio, paciência na adversidade e sua inquebrantável fidelidade deixou um registro para benefício de todos os que posteriormente vivessem na Terra (História da Redenção, p. 103).

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Reavivamento e Reforma

Reavivamento e Reforma - Pr. Levi Borrelli (01/2011) by Brazilian Temple TV

Reavivamento e Reforma - Pr. Levi Borrelli (01/2011) from Brazilian Temple TV on Vimeo.

Pr. Levi Borrelli - Sábado 22 e Janeiro de 2011. Sermão de lançamento da jornada de 40 Madrugadas com Deus - 2011.
Tema central Reavivamento e Reforma. A Igreja Adventista do Sétimo Dia, a nível mundial, está nesta campanha de Reavivamento com o propósito de preparo de seus membros para o trabalho de levar a Cristo a toda nação, e tribo, e língua.
Reavivamento e Reforma são os pré-requisitos para a alma estar entrege às mãos do Espírito Santo para ser usada como um instrumento nas mãos de Deus para levar esta mensagem ao mundo.
Que Deus abençoe a cada pessoa que sentir o desejo de ser transformado por Deus, tornando-se assim um instrumento nas mãos de Deus para levar outros aos pés da cruz, encontrando alí perão e consequentemente paz e alegria. - Deus abençoe a todos!
FONTE

Brasil

Brasil: violência é responsável por 44 por cento das mortes de jovens
Por Redacção
O homicídio é a principal causa de mortes violentas no Brasil, 39, 7 por cento, seguida por acidentes, 19, 3 por cento e suicídios, 3,9, segundo concluiu um levantamento divulgado pelo ministério da justiça brasileiro.
Nos últimos 30 anos, a taxa de homicídios entre os jovens passou de 30, em cada 100 mil jovens, para 52, 9.
Segundo o ministro da Justiça do Brasil, José Eduardo Cardoso, «Isso coloca sobre os nossos ombros, desafios, aos quais temos que responder com integração e superação de obstáculos, para que possamos ter uma política nacional de combate à violência que surta efeitos», declarou.
No resto da população brasileira, apenas 1,8 por cento das mortes são causadas por homicídios, revela o levantamento designado de «Mapa da Violência 2011».
21:50 - 24-02-2011

refugiados

Acolhimento de possíveis refugiados vindos da Líbia opõe países da UE Mundo
24.02.2011
Itália e países do sul querem que possíveis refugiados sejam distribuídos por todo o bloco, mas Alemanha e Estados do norte rejeitam exigência e dizem que italianos estão espalhando o pânico ao falar em "êxodo bíblico".
O temor de uma onda de refugiados vindos da Líbia em caso de queda do ditador Muammar Kadafi está causando uma forte divisão entre os países-membros da União Europeia (UE). A Itália e outros países do Mediterrâneo exigem mais solidariedade dos parceiros de bloco. Já a Alemanha e países do norte se recusam a acolher tais refugiados.
O ministro alemão do Interior, Thomas de Maizière, voltou a argumentar nesta quinta-feira (24/02) com base em números de pedidos de asilo. "A Itália está sendo exigida, mas ainda está muito longe de estar sobrecarregada", afirmou. Estatísticas mostram que a Itália recebeu 6,5 mil pedidos de asilo em 2010. Na Alemanha, foram 41 mil e na França, 48 mil.
O temor de uma onda de refugiados está também por trás da dificuldade de se aprovar sanções contra Kadafi. Alemanha e França pressionam por sanções, mas principalmente a Itália e Malta são contra. Caso sanções sejam aprovadas, Kadafi poderia se vingar abrindo as fronteiras da Líbia, argumentam estes dois países.
Há anos o ditador é um aliado dos europeus, e isso inclui também a questão dos refugiados. As forças de segurança de Kadafi patrulham a fronteira Líbia e impedem imigrantes africanos de fugir para a Europa.
Êxodo bíblico
Para os italianos, a União Europeia está à beira de uma situação de emergência. "Não podem nos deixar sozinhos, esse é o meu pedido", afirmou o ministro italiano do Interior, Roberto Maroni, durante um encontro em Bruxelas. Segundo ele, o governo italiano calcula que no mínimo 1 milhão de refugiados possam se dirigir à Europa vindos da Líbia. Roma fala num êxodo de proporções bíblicas.
Maroni provavelmente se referia ao número total de estrangeiros na Líbia, segundo informações da agência europeia de fronteiras Frontex. Especialistas da agência calculam que haja entre 500 mil e 1,5 milhão de estrangeiros na Líbia, oriundos de outros países africanos e também de asiáticos.
Os ministros da Alemanha, da Áustria e Suíça criticaram duramente o governo italiano, que acusaram de estar interessado em espalhar o pânico. O Ministério alemão do Exterior disse que é difícil fazer prognósticos sobre um possível número de refugiados vindos da Líbia. A Itália diz que na Líbia há 2,5 milhões de estrangeiros e que principalmente esses deixariam o país árabe.
A União Europeia já apoia a Itália na vigilância de suas fronteiras marinhas com a agência de fronteiras Frontex, que patrulha o Mar Mediterrâneo na costa italiana. Dez países participam da ação, entre eles a Alemanha.
As exigências da Itália são apoiadas pela França, pela Espanha, pela Grécia, por Malta e por Chipre. Nas últimas semanas cerca de 5 mil refugiados vindos do norte da África, principalmente da Tunísia, chegaram à ilha italiana de Lampedusa. Segundo Maizière, apenas 50 pediram asilo.
AS/rtr/dapd/epd/dpa

PROGERIA

Luta contra doença que causa envelhecimento acelerado

Investigadores dos Estados Unidos conseguiram imitar em laboratório a doença progeria.
Novo modelo laboratorial permite estudar novas formas de tratar a progeria. As crianças afectadas por esta doença rara sofrem um processo de envelhecimente sete vezes mais acelerado do que o normal. A sua esperança de vida raramente ultrapassa os 13 anos.
FONTE

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

telefone celular

Estudo indica que telefone celular altera atividade cerebral
Um estudo americano sugere que o uso de telefones celulares por um período prolongado pode afetar o funcionamento de nossos cérebros, ainda que não haja conclusões sobre os efeitos disso na saúde.
Estudo não concluiu que efeitos o celular tem na saúde humana
Os cientistas dos Centros Nacionais de Saúde dos EUA (NIH) notaram que, após 50 minutos de conversa no celular, havia 7% mais consumo de açúcar no cérebro nas regiões próximas à antena do aparelho. A presença de glicose é um sinal de aumento na atividade cerebral.
A pesquisa, feita com 47 pessoas e publicada no periódico Journal of the American Medical Association, é uma das primeiras a investigar os efeitos fisiológicos do celular ao observar os efeitos de seus campos magnéticos.
Os participantes do estudo ficaram com dois celulares colados a seus ouvidos, um desligado e um ligado (mas sem volume, para que eles não notassem a diferença entre cada aparelho). Durante 50 minutos, os pesquisadores monitoraram, com um scanner, a diferença nos níveis de glicose e observaram que, no lado do cérebro próximo ao telefone ligado, a presença de açúcar era maior.
Saúde
Mas o estudo não oferece nenhuma conclusão sobre possíveis riscos para a saúde contidos no uso do celular. “Esses resultados não provam potenciais efeitos cancerígenos (do celular) ou a ausência deles”, diz a pesquisa.
Um amplo estudo de 2006 sobre o mesmo tema, com 42 mil usuários de celulares na Dinamarca, tampouco obtivera evidências de relações entre o uso do celular e a incidência de câncer.
Para o professor Patrick Haggard, do Instituto de Neurociência Cognitiva da Universidade College London, o estudo americano traz conclusões interessantes, mas lembra que “flutuações muito maiores nas taxas metabólicas do cérebro ocorrem naturalmente, por exemplo enquanto bebemos”.
“No entanto, se próximos estudos confirmarem que o sinal do celular tem um efeito direto no metabolismo, daí será importante investigar se esses efeitos terão implicações na nossa saúde”, agregou Haggard.
“Não podemos determinar a relevância clínica do estudo, mas nossos resultados mostram que o cérebro humano é sensível aos efeitos dos campos magnéticos em exposições (prolongadas)”, disse ao site especializado MedPage Today Gene-Jack Wang, um dos responsáveis pela pesquisa americana.
Mas Wang adverte que “mais estudos são necessários para avaliar se os efeitos que observamos podem ter consequências potenciais de longo prazo”.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Nanopartículas

Nanopartículas suscitam temores para a saúdePor Simon Bradley, swissinfo.ch com agências

As nanopartículas de dióxido de titânio são usadas como pigmento branco em muitos produtos da vida cotidiana, como os bronzeadores. (Keystone)
Frequentes nos protetores solares e nos cosméticos, as nanopartículas de dióxido de titânio provocariam nos pulmões efeitos similares aos do amianto.
Cientistas suíços se alarmam, mas seus resultados são colocados em dúvida por outros estudos. As autoridades suíças adiaram a publicação de uma estratégia para essa área.
Mais de dois milhões de toneladas de dióxido de titânio nomométrico (nano-TiO2) são produzidos no mundo, todo ano. Utilizado como pigmento e para opacificar, esse nanomaterial entra na composição de tintas, cosméticos, protetores solares, remédios, pasta dental, colorantes alimentares e numerosos outros produtos de uso corrente, segundo artigo da agência suíça ATS, dedicado a uma publicação de pesquisadores suíços.
Pesquisadores do Departamento de Bioquímica da Universidade de Lausanne (UNIL, oeste) , da Universidade de Orléans (França) e do Centro Nacional Francês de Pesquisa Científica (CNRS), estudaram as inflamações causadas pelo nano-TIO2. Eles o testaram em células humanas e em ratos de laboratório.
Segundo os resultados, as nanopartículas de TiO2 produzem efeitos similares aos de outros dois irritantes ambientais bem conhecidos, o amianto e o silício. Como eles, elas ativam o inflamasoma NLRP3 – um complexo multiproteico provocando uma reação inflamatória – e uma produção de derivados reativos de oxigênio, moléculas tóxicas capazes de atacar o ADN, as proteínas e as membranas celulares.
“Da mesma maneira que o amianto, você acumula partículas de titânio nanométrico nos pulmões”, explica Jürg Tschopp, responsável pela pesquisa e professor de química biológica na Universidade de Lausanne, questionado por swissinfo.ch. “Meu receio é que essas partículas se tornem o amianto do futuro”, acrescenta Tschopp, vencedor do Prêmio Louis-Jeantet 2008 de medicina. “Há 40 anos, estávamos no mesmo ponto com o amianto. Havia indícios do perigo de provocar câncer, mas os dados não eram significativos”, lembra o pesquisador.
“Atualmente, não podemos excluir que as nanopartículas também sejam perigosas como o amianto”. Mas Jürg Tschopp admite que ele mesmo não deixará de usar creme solar nem de escovar os dentes com um dentifrício.
Mas será preciso, de acordo come ele, que esse tema entre na agenda política, que seja elaborado um regulamento e que sejam reforçadas as precauções. “Para evitar a mesma catástrofe que a do amianto, será necessário questionar até onde podemos renunciar às nanopartículas.
Nem sempre "nano"
A seguradora de acidentes Suva acompanha a questão de perto. “As nanopartículas não devem se tornar o amianto de amanhã”, indica a seguradora. Hoje ainda, 100 pessoas por ano morrem em consequência de sua exposição ao amianto, material que foi proibido na Suíça em 1990.
" É simplesmente impossível comparar a nanotecnologia com o amianto. É uma aberração."

" Peter Gehr, PNR "nanomateriais"
Quanto aos consumidores, o novo estudo é visto com bons olhos. “É importante ressaltar que o estudo aborda a toxicidade das nanopartículas de dióxido de titânio”, explica Huma Khamis, da Federação de Consumidores da Suíça francesa (FRC). Ora, estas não são sempre utilizadas na forma nanométrica nos produtos de grande consumo.”
A FRC pondera que “os cremes solares constituem uma exceção, embora os perigos potenciais de uma exposição ao sol sem protetor são maiores. É um grande dilema” opina Huma Khamis.
Um pioneiro minúsculo
Segundo o relatório 2010 sobre as nanotecnologias na Suíça, o governo federal teve um papel pioneiro na Suíça na ciência do infinitamente pequeno, descobrindo seu potencial muito cedo.
Um relatório federal estratégico foi publicado em 2008. Um segundo relatório é aguardado desde novembro. Em dezembro passado, o Programa Nacional de Pesquisa “oportunidades e riscos dos nanomateriais” foi lançado, com 18 pesquisas separadas.
Peter Gehr, presidente do comitê de direção do PNR é muito crítico do estudo publicado no PNAS. “É simplesmente impossível comparar a nanotecnologia com o amianto. É uma aberração”, denuncia.
“Partir de uma reação celular aguda e deduzir que isso pode provocar câncer é simplesmente uma loucura”, diz esse especialista em pulmões e professor de anatomia. Peter Gehr admite, no entanto, uma grande “distância” entre nossos conhecimentos acerca de uma exposição crônica às nanopartículas e os efeitos a longo prazo sobre os humanos e o meio ambiente.
“É verdade, muitas questões ainda não têm resposta”, diz Huma Khamis. “Por exemplo, como evoluem as nanopartículas nos produtos, será que elas formam moléculas maiores?”
Outro problema para os consumidores : hoje é impossível saber se um produto contém nanopartículas ou não. O relatório anunciado para novembro deveria esclarecer certos produtos e poderia exigir que alguns sejam retirados do mercado, estima Huma Khamis.

Perú - epidemia de rabia

Perú enfrenta una epidemia de rabia por mordeduras de murciélagos

Lunes, 21 de febrero de 2011

La rabia, propagada por mordeduras de murciélagos, es endémica en zonas selváticas de Perú.
El 2010 fue uno de los años más letales en una generación. 20 niños murieron por mordeduras de murciélagos.
Pero en estos dos primeros meses del 2011, ya se han reportado nuevos casos.
Vea en este video de BBC Mundo, los retos de controlar una epidemia de rabia en comunidades aisladas de la amazonía peruana.

FUENTE

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

água potável

Cientistas utilizam energia solar para produzir água potável
21. Fevereiro 2011 - 12:32
Por Isobel Leybold-Johnson, swissinfo.ch

O quiosque de água funciona em um vilarejo em Moçambique. (swisswaterkiosk.org)
Pesquisadores suíços desenvolveram um aparelho que explora a energia do sol para purificar água, um sistema de grande potencial nos países em desenvolvimento.
O SwissWaterKiosk (n.r.: quiosque suíço de água), desenvolvido por uma equipe da Universidade Técnica de Rapperswil, está sendo atualmente testado em Bangladesh, Moçambique e Tanzânia.
Quase 900 milhões de pessoas no mundo não têm acesso à água potável de acordo com as Nações Unidas.
"O conceito do SwissWaterKiosk é a utilização de uma tecnologia sustentável para purificar a água. Nosso principal objetivo é dar acesso à água potável para pessoas que não tinham esse acesso anteriormente", afirma o chefe do projeto, Lars Konersmann.
O sistema usa tecnologia térmica solar para aquecer a água. Pesquisadores mostraram que a água não precisa ser aquecida a 100 graus centígrados para matar todos os micróbios patogênicos, como explica Konersmann. De fato, 75°C por mais de cinco minutos já são suficientes para purificar o líquido. Porém o modelo desenvolvido pelos suíços prefere a segurança e aquece a água a 80°C.
“Quanto menor a temperatura, mais eficiente podemos ser e mais água podemos produzir com o mesmo investimento ou material", acrescenta o pesquisador. O sistema pode purificar diariamente 500 litros de água ao custo inicial de 500 dólares por aparelho, o que os cientistas consideram um preço comparável a outros sistemas.
Facilidade de uso
O quiosque é destinado mais para a utilização coletiva de pequenas comunidades do que individualmente em lares. Nela, um empresário local pode se responsabilizar pela produção e distribuição da água. O líquido pode ser vendido a baixos custos como um serviço comunitário ou cedida gratuitamente a escolas ou hospitais.
Konersmann diz que a principal vantagem comparada a outras tecnologias é que o quiosque é de fácil manutenção e funciona de forma eficaz, o que é importante quando se aplica tecnologia em países em desenvolvimento. "Desde que o processo de tratamento de água é como colocar a água para ferver, a tecnologia é de fácil compreensão e aceitação", acrescenta.
A segunda fase-piloto, acompanhando uma primeira para testar a tecnologia, é a avaliação dos aspectos sociais, especialmente diferentes modelos de operação. Os testes estão sendo realizado em três países até o final do ano.
Em Bangladesh, o projeto, baseado em Dhaka, mostrou que a tecnologia não é ideal para espaços urbanos, pois lá já existem grandes sistemas centrais de tratamento de água que são mais econômicos e eficientes. No entanto, tem havido comentários positivos das áreas rurais e semi-urbanas na África.
Escolas e outros espaços
A ONG suíça Helvetas está executando dois projetos-pilotos ao norte de Moçambique, onde atua na questão do acesso à água e projetos sanitários há muitos anos. Em março mais outro cinco sistemas de filtragem serão instalados.
"Os primeiros sistemas funcionam em escolas. Agora nós iremos instalar mais alguns para testá-los em diferentes contextos, sejam centros hospitalares, outras escolas e também em espaços comerciais como restaurantes, que estão interessados em testá-los", afirma Kaspar Grossenbacher, coordenador de programa da Helvetas.
"Ainda é muito cedo", salienta Grossenbacher. "No início os alunos estavam um pouco relutantes em usar o quiosque, mas agora eles pegam sua água potável dele."
Houve alguns problemas: a água era um pouco quente e o sistema não funcionava nos poucos dias nublados que a região tem no seu período de chuvas, afirma o especialista. "Mas, no entanto, eles continuam a usá-lo e estão interessados em ampliar as quantidades."
Acesso seguro à água
A situação de acesso à água nessa região de Moçambique - um dos países mais pobres do mundo - é crítica, diz Grossenbacher. Poços são a solução comum.
Helvetas não prevê que o quiosque irá proporcionar acesso à água potável a conjuntos inteiros de comunidades rurais, pois suas necessidades são muito amplas. A ONG acredita que o sistema é ideal para instituições, onde água potável é necessária. "É uma solução específica que estamos testando para o uso por instituições específicas", explica o suíço.
Uma ideia eventual poderia ser colocar o quiosque em áreas mais densamente povoadas, onde a população aparece para comprar água, em adição ao atendimento das suas necessidades por poços artesianos. Trata-se de algo que precisa ainda ser testado como um novo conceito, afirma Grossenbacher.
Konersmann diz que o objetivo é concluir o segundo teste-piloto em três países com algumas histórias de sucesso, tendo em vista a expansão do sistema nesses países e até além disso. "Água potável é uma necessidade básica de cada ser humano", ele diz. "Ela constrói a base para a qualidade de vida."

Holanda

Holanda discute o comércio de rins

Data de publicação : 21 Fevereiro 2011 - 12:14pm
Por Margo de Haas (RNW) A venda de órgãos é ilegal na Holanda, embora a maioria das pessoas possa viver perfeitamente com apenas um rim. E há quem queira vender um rim ilegalmente – não faltam ofertas na internet.
Andries Hoitsma, professor da cadeira de transplante de órgãos do curso de Medicina da Universidade Radboud, na cidade de Nijmegen, não concorda com a proibição da venda de rins. Ele acredita que 50 mil euros seria uma compensação razoável que o governo e os seguros de saúde poderiam oferecer aos doadores.

FONTE

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Depressão

Depressão: Resultado de Auto-Punição? - Uma Interpretação
Será que uma pessoa deprimida pode estar assim por punir-se a si mesma? Como entender que pode haver uma autopunição em certas pessoas deprimidas? Elas se puniriam por conta de que fato?
Depressão é um estado mental sofrido. Caracteriza-se por tristeza profunda, desânimo, idéias negativas, pessimistas, às vezes irritação, chôro fácil ou bloqueio do chorar (quando então a pessoa experimenta uma forte angústia no peito, que é o choro preso), desprazer em estar com as pessoas, sente-se pior pela manhã, tendo dificuldade para levantar da cama, insônia, às vezes idéias suicidas (porque a pessoa não vê solução para seu sofrimento), etc.
A depressão pode surgir por perda do objeto amado. Perda real ou imaginária, parcial ou total, temporária ou definitiva. Quando um cônjuge se casa amando seu marido/mulher, e ao longo dos anos de casamento ocorrem frustrações entre ambos porque nenhum dos dois satisfaz todas as necessidades afetivas mútuas, há, então, uma perda. Pode-se juntar a esta perda a que foi trazida da infância na qual também ocorreram frustrações na família de origem. A perda da infância pode ficar inconscientizada e a pessoa viver no presente como se a dor do passado não tivesse mais nenhuma relação com a atual – nem toda dor emocional do passado mal resolvida é consciente. Alia-se à esta perda infantil, a perda atual, ou seja, do casamento. Daí surge acúmulo de dor que pode se tornar insuportável.
O que você faz quando surge dor física? Toma um analgésico, um comprimido, um líquido, uma injeção, um chá, uma pomada, uma compressa, ou gelo. E quando a dor é emocional? Você pode tomar medicamentos, dormir demais, se drogar, fingir que não há dor, trabalhar demais, punir a pessoa que o frustrou. E como pode punir? Privando-a de afeto, se tornando fria, indiferente, agressiva. Pode trair, se isolar, privar a pessoa de sexo, abandoná-la, pode se dedicar exageradamente à um outro membro da família, etc.
A pessoa frustrada, carente de afeto e de valorização, pode ter razão em se sentir magoada e ferida porque pode ter sido privada de atitudes que gerariam auto-valor. E autovalorização é uma necessidade humana básica. Quando há perturbação da formação dela por causa do desamor anterior, o indivíduo pode recorrer a métodos não construtivos para a formação da necessária autovalorização. Pode buscar a coisa positiva, de maneira negativa, destrutiva.
A Bíblia fala de um "eu" carnal e de um "eu" espiritual. O "eu" carnal também experimenta amor. Só que ele é unido à vaidade. E a vaidade se exalta na tentativa de construir um autovalor machucado e machucador. Mas o amor "carnal" que precisa da vaidade para construir o auto-valor (coisa positiva), busca este auto-valor de maneira errada porque no amor verdadeiro (vivido pelo “eu” espiritual) não existe a busca dos próprios interesses de maneira inconveniente, não produz injustiça, não machuca ninguém. "O amor [maduro] é paciente e bondoso. Não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso. Não é grosseiro, nem egoísta. Não se irrita, nem fica magoado. Não se alegra quando alguém faz alguma coisa errada, mas se alegra quando alguém faz o que é certo. Nunca desanima, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência." (adaptado de A Bíblia na Linguagem de Hoje).
O tipo de amor que gera auto-valor só tem bons resultados no caminho da verdade, porque se não a sensação de auto-valor pode até vir com a prática do erro, mas junto vem a culpa. E para tentar apagar esta culpa a pessoa pode atacar o outro, aquele que o feriu, ficando cega para seus próprios erros e maneiras equivocadas de buscar auto-valorização.
Se a pessoa está num caminho errado, que sua consciência condena, ela terá culpa inevitavelmente. Culpa real. Pode se sentir péssima consigo e passar a não só punir o outro que a frustrou, como pode – veja só! – punir a si própria. Como? Com a depressão.
A depressão pode ser, portanto, uma forma da pessoa manifestar uma auto-punição (resultado da culpa real) por ter buscado métodos errados de punir aquele que o frustrou. Ela pode ficar nisso o tempo todo, num círculo vicioso assim: se sente frustrada ➜ busca valorização e afeto de maneira errada ➜ surge a culpa ➜ tenta racionalizar essa culpa punindo quem a frustrou ➜ se sente culpada mais ainda (principalmente se a pessoa já pediu perdão e procura amar agora sinceramente) ➜ surgem sintomas depressivos. Volta a buscar valorização e bem-estar da maneira errada ➜ surge a culpa ➜ racionaliza essa culpa atacando ou desprezando quem a frustrou ➜ vem mais culpa ➜ se deprime. Etc.
Será a solução usar remédios para abafar a culpa e a dor? Como cortar este círculo vicioso negativo, destrutivo? Primeiro, a pessoa frustrada precisa cortar o método errado (indiferença, infidelidade, agressividade) que está usando para obter o certo (auto-valor, afeto).
Segundo, perdoar a pessoa que a frustrou, e aceitar o perdão solicitado.
Terceiro, perdoar a si mesma por seus próprios erros.
Quarto, colaborar para a restauração de um relacionamento afetivo maduro, dentro de uma nova visão do amor e do amar.
Quinto, aprender a lidar com a dor da perda (do passado infantil e do presente) , suportando-a, sem fugir para meios destrutivos, acreditando e dando tempo para ver que esta dor irá diminuir e até desaparecer justamente na medida que for enfrentada com a verdade, a lealdade, a paciência, a compreensão, o perdão (por si e pelo outro), e o desejo que pode surgir na alma de amar melhor. A depressão tem cura. E o que cura é a verdade e o amor maduro.

Caso das adopções ilegais em Espanha

Espanha: Mãe reencontra filha que lhe tinha sido roubada em 1970
20.02.2011 - 12:31
Por PÚBLICO
Estima-se que estes crimes tenham começado durante o franquismo e continuado até 1987 (Susana Vera/Reuters)
Durante o franquismo, e até quase ao final da década de 1980, o tráfico de bebés foi um negócio em Espanha. Só recentemente é que este país começou a acordar para este capítulo aterrador da sua história, muito graças à acção da Anadir - Asociación Nacional de Afectados por Adopciones Ilegales, que recentemente se manifestaram frente à Procuradoria-Geral espanhola pedindo justiça.
“Este é o primeiro caso de reencontro a que assistimos”, assegurou ao “El País” Juan Luis Moreno, fundador, a par de Antonio Barroso, da Anadir. “Aconteceu em Barcelona, mas ambas preferem ocultar a sua identidade”, acrescentou o responsável.
Sabe-se que, neste caso, a mãe nunca acreditou na notícia dada pelos médicos: que a filha que acabara de dar à luz tinha morrido. Por isso, lutou durante toda a vida para saber a verdade. O seu desejo acabou por se tornar realidade, ainda que 40 anos depois. A sua filha não estava morta e foi ao seu encontro.
Ambas fizeram testes de ADN que confirmaram que são mãe e filha e que a certidão de óbito que tinha sido entregue à mãe há 40 anos era falsa.
Este é o primeiro reencontro provado por testes de ADN, mas é possível que se venham a suceder muitos mais casos. Centenas de mulheres em todo o país já apresentaram relatos semelhantes: depois do parto, o obstetra dizia que a criança tinha morrido e os pais nunca mais viam o bebé. Acabavam a enterrar urnas fechadas sem ninguém lá dentro.
O procurador-geral, Cándido Conde-Pumpido, decidiu remeter para as procuradorias provinciais as queixas dos 261 casos de bebés alegadamente roubados que recebeu na procuradoria no final do mês passado. Paralelamente, Conde-Pumpido nomeou uma pessoa para coordenar as investigações.
Por outro lado, o ministro da Justiça, Francisco Caamaño, comprometeu-se esta semana a facilitar, gratuitamente, os testes de ADN aos afectados, sempre que seja apresentada uma autorização judicial.
Estima-se que estes crimes tenham começado durante o franquismo - muitas vezes eram retirados a famílias simpatizantes da esquerda republicana - e continuado até 1987, quando uma reforma legislativa obrigou os médicos a comunicarem às autoridades cada caso de adopção em que intervinham.
Uma mulher reencontrou-se com a sua mãe biológica, 40 anos depois de a terem retirado à progenitora logo após o nascimento. Este foi o primeiro caso de reencontro - já confirmado por testes de ADN - saído de um passado de tráfico de bebés que está a abalar a vizinha Espanha.

Núcleo da Terra

Núcleo da Terra gira mais devagar do que se pensava
por Lusa    Hoje
Um grupo de geofísicos descobriu que o núcleo da Terra roda muito mais devagar do que se pensava afetando o nosso campo magnético, segundo um artigo publicado hoje na revista Nature Geoscience.
Desenvolvido pelo Departamento de Ciências da Terra da Universidade de Cambridge, o estudo refere que o núcleo da Terra gira muito mais lentamente do que se pensava e que na realidade a velocidade de rotação diminui um grau a cada milhão de anos.
"Descobrimos que a velocidade de rotação provém da evolução da estrutura hemisférica e assim demonstramos que os hemisférios e a rotação são compatíveis", explicou Lauren Waszek, autor do estudo.
Até agora, assinalou o geofísico da Universidade de Cambridge, este era um importante problema da geofísica "já que as rápidas velocidades de rotação eram incompatíveis com os hemisférios observados no núcleo interno".
Para obter estes resultados, os cientistas utilizaram ondas sísmicas que atravessaram o núcleo interno do planeta, 5200 quilómetros abaixo da superfície da Terra, e compararam-nas com o tempo de viagem das ondas refletidas na superfície do núcleo.
Depois observaram as diferenças na rotação dos hemisférios este e oeste e comprovaram que giram de maneira consistente em direção de este para o interior, pelo que a estrutura mais profunda é a mais velha.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Equatorianos

Pesquisa com equatorianos imunes ao câncer poderá servir para tratar doença

Os genes de um grupo de equatorianos de baixa estatura que não sofrem de câncer ou diabetes abrem novas vias de tratamento para pessoas que têm essas doenças, disse à Agência Efe Jaime Guevara Aguirre, o principal responsável pela descoberta.
O médico equatoriano estuda desde 1987 um grupo de 100 pessoas de entre 1,15 metro e 1,25 metro de altura originárias de regiões do sul do Equador e que têm uma mutação genética que impede seu crescimento.
Com a passagem dos anos, Aguirre percebeu que, mesmo sendo obesas, as pessoas pertencentes a esse grupo não desenvolviam diabetes e nem morriam de câncer. Em todos esses anos, uma delas chegou a desenvolver um tumor, mas conseguiu se curar.
A descoberta, divulgada na quarta-feira em artigo escrito em colaboração com Valter Longo, da Universidade do Sul da Califórnia, para uma revista científica americana, poderia passar em breve do terreno científico para a prática.
Longo pretende solicitar ao Governo americano o uso de medicamentos que bloqueiem o crescimento de pacientes que sofrem de câncer.
Aguirre disse que ele provavelmente fará estudos sobre essa possível aplicação para a Universidade do Sul da Califórnia em um hospital da Sociedade da Luta contra o Câncer (Solca) do Equador.
"A única coisa que me interessaria saber é que essas pessoas que estão sofrendo têm a possibilidade" de ter um tratamento mais efetivo, disse Guevara Aguirre, quem ressaltou que um efeito colateral provável dessa alternativa seria o aumento do colesterol.
A chave para o sucesso do tratamento está no organismo de pessoas como Luis Sánchez, um homem de 42 anos que tem a altura de uma criança e que colabora com Aguirre há duas décadas.
Sánchez, filho de pais altos mas que eram portadores da mutação, cooperou com o médico por altruísmo, assim como os outros pacientes, com o desejo de que as pesquisas dessem esperanças à próxima geração.
"Com os estudos realizados em nós (...) há a oportunidade de se descobrir algo que possa ajudar as crianças", disse Sánchez à Agência Efe.
No Equador, há cerca de 100 pessoas com a doença, conhecida como síndrome de Laron, enquanto no mundo todo há apenas 300.
Em uma pessoa normal, o hormônio do crescimento chega a um receptor no fígado e se forma um composto chamado IGF-1, que faz os tecidos e os ossos crescerem.
Os que sofrem dessa síndrome têm uma deficiência do receptor que faz com que se gere um baixo nível de IFG-1. Mas, o estudo indicou que, ao mesmo tempo, essas pessoas "não se têm câncer", enquanto seus parentes que não sofrem da síndrome desenvolvem a doença.
Em teoria, se medicamentos já existentes forem usados para bloquear esse receptor em um adulto, que não necessita crescer mais, seria possível lutar contra o câncer, afirmou Aguirre.
O médico não tinha essa ideia em mente quando iniciou suas pesquisas há 24 anos em pequenos povoados das províncias de Loja e El Oro com dinheiro doado por seu pai, mas se interessou pela prevalência da obesidade entre os pacientes com a síndrome de Laron.
Com a passagem dos anos, descobriu como tratá-los e realizou "os melhores estudos de crescimento no mundo", disse.
Ele administrou hormônios doados por uma companhia farmacêutica durante dois anos, mas parou quando estes acabaram.
A empresa continuou tratando os pacientes da síndrome na Europa e nos Estados Unidos, mas não os equatorianos, disse Aguirre, quem acrescentou que nunca recebeu apoio do Governo do Equador.
Com o hormônio, agora fabricado pela companhia francesa Ipsen, os equatorianos que sofrem da síndrome poderiam crescer até 1,4 metro, uma altura que os permitiria integrar-se mais facilmente no Equador, onde as pessoas, em geral, são baixas.
"Estes pacientes deram muito durante os últimos 20 anos: deram sua dor, seu sangue e sua cooperação", disse o médico.
Para o mundo, esses 100 equatorianos oferecem a oportunidade de se combater doenças fatais. EFE
FONTE

Seu corpo pode prever o tempo

Seu corpo pode prever o tempo
Tem gente que pode sentir quando vai chover nos próprios ossos. Esse é o caso de Robyn Nichols, que tem artrite reumatóide desde os 2 anos e agora, com 37, é capaz de perceber uma mudança no tempo até dois dias antes que aconteça.
Apesar de alguns aspectos positivos, como sempre saber quando carregar um guarda-chuva, esse tipo de sexto sentido tem um preço: dores nas articulações e dificuldade de movimentação.
E o que faz as pessoas com a doença tão espertas em prever o tempo? Segundo especialistas, uma mudança repentina na pressão barométrica, ou o peso do ar, faz as articulações incharem.
Este inchaço é especialmente doloroso para as pessoas que sofrem de artrite, devido à quantidade de pressão e fluidos em suas articulações. Quando as articulações inflamam, qualquer fluido diminui a amplitude de movimento do doente.
Por exemplo, Robyn, que vive em Illinois, EUA, está acostumada ao frio, mas não a nevasca. Por causa de uma onda que atingiu recentemente o Centro-Oeste, ela não pode sair de casa por uns dias.
O tempo não tem efeito apenas nas pessoas com artrite. Alterações na pressão barométrica causam dor em pessoas que sofrem de sinusite, trombose venosa profunda (coágulos de sangue) e enxaquecas.
No caso das pessoas com sinusite, metade dos pacientes pode prever o tempo com base em quando eles começam a sentir dor. Começa com um pouco de dor facial, e pressão nos seios. Então as pessoas se tornam sensíveis à luz.
Segundo os médicos, embora a melhor opção de um paciente quando confrontado com uma enxaqueca induzida pelo clima seja apenas “enfrentar a tempestade”, existem medidas que as pessoas podem tomar quando sentem as dores. Por exemplo, não tomar atitudes que desencadeiam ou pioram enxaquecas, como tomar vinho tinto, não pular refeições, dormir regularmente, se hidratar e se exercitar regularmente.
Outra vítima do clima de inverno são as pessoas com osteoartrose. Em todos esses casos, muitas das pessoas que são negativamente afetadas por mudanças climáticas acreditam que se mudar para um local com clima mais constante vai ajudar a diminuir os sintomas.
Infelizmente, os médicos afirmam que não é tão simples. As pessoas geralmente se sentem melhor em temperaturas mais quentes, mas as tempestades podem acontecer em qualquer lugar.
No entanto, climatologistas afirmam que algumas regiões são mais favoráveis para as pessoas que vivem com doenças como artrite. Por exemplo, nos EUA, é muito incomum que um sistema de baixa pressão intenso atravesse o Arizona ou Novo México, que são protegidos por montanhas. E mesmo no verão, as maiores mudanças como furacões e tempestades tropicais estão suficientemente longe dessas regiões. Tudo isso oferece aos pacientes mais movimento e menos dor, o que pode sinceramente valer a pena
FONTE
FONTE 2

Alemanha

Esquerdistas travam desfile neonazi em Dresden
por Lusa           Hoje
Milhares de manifestantes impediram hoje, em Dresden, um desfile de neonazis de vários países europeus, erguendo barricadas e envolvendo-se em confrontos com a polícia, que não conseguiu impôr o direito de manifestação à extrema-direita, reconhecido pelos tribunais.
Cerca de 500 neonazis que tencionavam manifestar-se na capital da Saxónia em memória das 25 mil vítimas dos bombardeamentos aéreos dos aliados de 13 e 14 de Fevereiro de 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, acabaram por desistir da manifestação, e após conversações com a polícia decidiram transferi-la para Leipzig. A mais de 110 quilómetros de distância.
A polícia avisou os organizadores do desfile neofascista de que não estavam autorizados a manifestar-se no centro de Leipzig.
Antes da chegada a Leipzig do comboio que transportava os adeptos da extrema-direita, a polícia teve de dispersar várias concentrações de contra manifestantes que gritavam "fora com os nazis".
No ano passado, cerca de seis mil neonazis já tinham sido impedidos de desfilar em Dresden a 13 de Fevereiro devido aos protestos de numerosos antifascistas.
Este ano, a manifestação convocada pelo partida de extrema-direita NPD em Dresden atraiu apenas centenas de neonazis, apesar de os tribunais terem autorizado o desfile e determinado protecção policial contra as tentativas de bloqueio de contra manifestantes, igualmente anunciadas para Dresden.
FONTE

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Câncer de testículo

Câncer de testículo é duas vezes mais mortal em pacientes acima dos 40 anos
Homens diagnosticados com câncer testicular após os 40 anos de idade têm duas vezes mais riscos de morrer da doença do que pacientes jovens, afirma um estudo norte-americano. A pesquisa foi realizada com dados de aproximadamente 28 mil homens, e levou em conta fatores como as características da doença, fatores de tratamento e variáveis sócio-demográficas.
“O câncer de testículo é altamente curável, e qualquer influência que confira risco aumentado de mortalidade deve ser identificada, para que melhores estratégias de intervenção sejam adotadas”, escrevem os autores.
Vários fatores podem explicar a diferença de mortalidade relacionada à idade, incluindo o fato de que muitos pacientes idosos frequentemente não são tratados com a mesma intensidade do que os pacientes mais jovens. Os pesquisadores recomendam, portanto, maior atenção ao cuidado com esses pacientes, assim como com os de baixa renda.
Além da faixa etária com maior risco de mortalidade, a pesquisa também descobriu que pacientes diagnosticados após 1987 tinham menos probabilidade de morrer durante o acompanhamento da doença do que homens diagnosticados mais cedo, possivelmente devido à introdução de um tipo de quimioterapia cerca de dez anos antes.
Porém, os autores escrevem que “a questão que se mantém, no entanto, é se a associação entre variáveis socioeconômicas e mortalidade reflete as diferenças na capacidade do sistema de saúde para oferecer o tratamento ideal, a predisposição do paciente para aceitar o tratamento intensivo, ou o conhecimento do médico das melhores abordagens no tratamento”.
FONTE 1
FONTE 2

frutas vermelhas

Comer frutas vermelhas pode reduzir risco de Parkinson
Substância presente em morangos, amoras e mirtilos protege contra a doença
14/02/2011
Prevenção: incluir no cardápio frutas vermelhas pode ajudar a evitar o Parkinson (Jupiterimages/Thinkstock)
Uma pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH, sigla em inglês) afirma que homens e mulheres que comem regularmente frutas vermelhas, como morango, amora e mirtilo, apresentam menores riscos de desenvolver o mal de Parkinson. Para os homens, a prevenção pode vir ainda pelo consumo de maçãs e laranjas - frutas também ricas em flavonóides. O estudo, divulgado nesta segunda-feira, será apresentado durante o 63º Encontro da Academia Americana de Neurologia, que acontece em abril deste ano.
Para chegar aos resultados, foram analisados dados de 49.281 homens e 80.336 mulheres durante 22 anos. Cinco fontes naturais de flavonoides foram pesquisadas: chá, frutas vermelhas, maçãs, vinho tinto e laranja. No período estudado, 805 pessoas desenvolveram Parkinson. Nos homens, os 20% que apresentavam o maior consumo de flavonoides tinham 40% menos chances de desenvolver a doença, quando comparados aos 20% que menos consumiam a substância.
Nas mulheres, no entanto, o consumo de flavonoides não aparentou ter relação direta com a doença. Mas se descobriu que o consumo de sub-classes de flavonoides, como as antocianinas —obtidas principalmente a partir das frutas vermelhas —, resultava em menores riscos de Parkinson para ambos os sexos.
FONTE

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

el estrés

Cómo manejar el estrés según la Biblia
por Julián Melgosa
El estrés, también conocido como la reacción de “ataque o huida”, es la reacción del organismo ante demandas intensas o alarmas. Pero las alarmas no siempre llegan en la forma de amenazas físicas. A veces llegan como estímulos psicológicos, el recuerdo de eventos desagradables, sensaciones intensas de impotencia, sentido de culpa o los gritos de un bebé. Para la mayoría, el estrés está conectado con condiciones hostiles del trabajo, una conciencia culpable, problemas en las relaciones, finanzas limitadas y otras situaciones parecidas.
Cuando las personas perciben una situación alarmante, se activan una serie de mecanismos fisiológicos (neurales y hormonales) en el cuerpo. Los cambios más notorios incluyen la producción adicional de glucosa, aceleración de la frecuencia de la respiración y los latidos del corazón, tensión muscular, resequedad en la boca, entorpecimiento del proceso digestivo y la constricción de los vasos sanguíneos. Todos estos cambios en los procesos corporales aumentan la energía disponible para atacar el estímulo estresante o huir de él. Nuestro sistema de respuesta al estrés fue diseñado por nuestro Creador para ayudar a sus criaturas a sobrevivir ante el peligro.
El estrés moderado es bueno, porque la energía que produce nos permite terminar a tiempo los proyectos, correr para alcanzar el autobús o enfrentar la limpieza de la casa. Pero cuando la alarma se torna constante, pronto deja de producir resultados positivos, y puede causar enfermedades como la úlcera gástrica, el colon irritable, la hipertensión arterial, laarterosclerosis, el angina de pecho o el infarto de miocardio. Incluso puede afectar nuestro sistema inmunológico.
El poder de la oración
Quienes han experimentado una relación de fe con Jesús saben que la oración y la comunión con él ayudan a manejar el estrés de la vida con bastante éxito. De hecho, la oración parece mejorar nuestras defensas corporales. Un análisis de más de cincuenta investigaciones llevó a las siguientes conclusiones:
1.La meditación religiosa y la oración causan una actividad bidireccional entre el cerebro y el sistema circulatorio que baja la presión arterial y disminuye los latidos del corazón y el ritmo de la respiración. Estos cambios son incompatibles con el estrés, la ansiedad y el pánico.
2.La oración y la meditación producen un aumento en la actividad del hemisferio izquierdo del corazón. Este tipo de actividad está asociado con la respuesta inmunológica sana, como es la producción de anticuerpos que nos protegen contra las infecciones.
3.La oración y las prácticas religiosas también afectan el sistema nervioso central. Estimulan el lóbulo frontal del cerebro, lo que regula la actividad del sistema nervioso autónomo, el sistema límbico, el hipotálamo y la amígdala cerebral, y a su vez reduce el estrés.
4.La oración y las prácticas religiosas aumentan el nivel de los neurotransmisores melatonina y serotonina, que son sustancias secretadas por el cuerpo para inducir el relajamiento e inhibir el enojo y la agresión.
5.La afirmación pública de los valores y creencias de un individuo (algo que sucede cada semana en las iglesias) reduce el nivel de cortisol, que es la hormona del estrés.1
Las estrategias anti estrés de Jesús
Jesús, por medio de sus palabras y ejemplo, nos ofrece consejos prácticos sobre cómo manejar nuestro estrés diario. El primer recurso notable que le permitía enfrentar las enormes presiones que experimentaba al sanar, predicar, alimentar a las multitudes y por ser objeto de persecución de parte de varios grupos, era su cercanía con su Padre.
Jesús fortalecía su relación con su Padre por medio de la oración y la meditación. Por ejemplo, Marcos nos dice que “Levantándose muy de mañana, siendo aún muy oscuro, salió y se fue a un lugar desierto, y allí oraba” (S. Marcos 1:35). A veces Jesús invitaba a sus discípulos a unírsele. Más de una vez les dijo: “Venid vosotros aparte a un lugar desierto, y descansad un poco” (S. Marcos 6:31). Orar en la quietud de la mañana o la noche, puede que sea la única oportunidad que tengamos para ser impresionados por la voz de Dios y recibir la energía y la sabiduría para enfrentar los desafíos que la vida nos trae.
Jesús también encontró alivio en la comunión con las personas. A veces lo encontramos descansando en la casa de Lázaro, Marta y María. Y se aseguraba de que sus discípulos tuvieran alguna recreación. Él sabía que un periodo de descanso y recreación, apartados de la multitud, les daría nuevo vigor. Al pedirles periódicamente que se retiraran a descansar, les estaba enseñando cómo equilibrar el trabajo con el reposo.
También podemos reducir el estrés por medio del trabajo; y no cualquier trabajo, sino el trabajo que produce alivio a los demás. La vida de Jesús fue fundamentalmente desinteresada. Constantemente empleaba sus energías para servir a los demás. En un sermón, Pedro resumió la vida de Jesús con las palabras: “Éste anduvo haciendo bienes y sanando a todos los oprimidos por el diablo, porque Dios estaba con él” (Hechos 10:38).
Las personas que se ocupan en trabajos voluntarios, proyectos comunitarios y de asistencia a los demás, sienten mayores niveles de bienestar y satisfacción que los que no lo hacen. Allan Luks y Peggy Payne estudiaron a 3.296 voluntarios en el programa de Big Brothers/Big Sisters en la ciudad de Nueva York y 95 por ciento reportó sensaciones generales de bienestar y un aumento en su estima propia. También declararon que tienden a percibir sus experiencias negativas como asuntos de menor importancia.2
Si usted está sufriendo de mucho estrés, quizá le convenga poner a un lado los papeles, herramientas, preocupaciones, sea lo que fuere, y reflexionar sobre cómo Jesús manejaba el exceso de trabajo. Y recuerde su promesa: “Venid a mí todos los que estáis trabajados y cargados, y yo os haré descansar. Llevad mi yugo sobre vosotros, y aprended de mí, que soy manso y humilde de corazón; y hallaréis descanso para vuestras almas” (S. Mateo 11:28, 29).
Ir a Jesús sigue siendo un extraordinario antídoto contra el estrés. ¿Por qué no lo comprueba hoy mismo?
El autor es decano de la Escuela de Educación y Psicología de la Universidad de Walla Walla, Washington. Tiene un doctorado en Psicología de la Educación y es autor de varios libros sobre la salud mental y espiritual.
FUENTE

micróbios

Até mesmo micróbios comuns sobrevivem à radiação
Quanto se trata de micróbios, alguns tem uma capacidade de sobrevivência muito maior do que os seres humanos. Por exemplo, o P. cryohalolentis, um micróbio encontrado tanto no permafrost quanto no gelo marinho da Antártida, que sobrevive à radiação mesmo em condições parecidas com ambientes inóspitos da Terra e de Marte.
O micróbio pode ficar metabolicamente ativo em temperaturas abaixo de zero, e, eventualmente, replicar seu DNA. Ele usa essas condições geladas para reparar o dano ao DNA causado pela decomposição natural de átomos radioativos ou raios cósmicos.
Os pesquisadores escolheram testar os limites desse micróbio porque ele não tem nenhuma habilidade extraordinária de reparo de DNA ou de proteção contra radiação. Mas, se ele pudesse reparar 10 pares de base de DNA por ano, poderia compensar o efeito que seria causado unicamente pela radiação ionizante.
No laboratório, o P. cryohalolentis sintetizou uma média de 90 pares de bases do DNA por dia ao ser posto em uma mistura congelada (-15 graus Celsius) ao longo de 400 dias. Uma temperatura comparável com algumas das condições de gelo mais quentes de Marte, bem como da Terra.
Os pesquisadores mostraram os benefícios do reparo de DNA através da estimativa de vida para os micróbios P. cryohalolentis, E. coli, e D. Radiodurans, sendo que o último é um conhecido resistente à radiação. Quando P. cryohalolentis manteve atividade de reparação, mesmo em condições semelhantes à da superfície de Marte, facilmente superou até mesmo o dormente D. radiodurans.
Naturalmente, as estimativas de vida não incluem muitos outros fatores que podem ameaçar a vida de um micróbio encalhado em alguns dos ambientes mais inóspitos da Terra ou em Marte, como a falta de alimentos ou de água.
É por isso que os pesquisadores advertem fortemente contra o uso das estimativas do quanto os micróbios podem durar em ambientes extraterrestres. Porém, eles estão confiantes que a radiação ionizante não é um fator limitante para a sobrevivência do micróbio.
Ainda assim, algumas dúvidas ficam, como saber se o micróbio só repara danos no DNA, ou se também replica seu DNA lentamente ao longo do tempo, para continuar a crescer a população. Os pesquisadores não acham isso provável, nem impossível. Uma resposta poderia vir com novas experiências planejadas que tentam responder à questão de reparação ou de replicação.
FONTE 1
FONTE 2