terça-feira, 30 de novembro de 2010

La gente que camina

La gente que camina tiene un mayor cerebro
BBC Ciencia

Las personas de avanzada edad que camina unos 10 kilómetros a la semana tiene un cerebro más grande, mejor memoria y mayor capacidad cognitiva, afirma una nueva investigación.
El estudio -el más amplio que se ha hecho sobre el impacto de la actividad física y el deterioro mental asociado a la enfermedad de Alzheimer- siguió a más de 400 ancianos durante más de 20 años.
Caminar mejora la estructura cerebral, la memoria y la capacidad cognitiva.
Entre los participantes, con una edad promedio de 80 años, 300 eran sanos y 127 mostraban deterioro cognitivo leve (DCL) -una etapa previa a la demencia- y síntomas de Alzheimer.
Los investigadores encontraron que los ancianos con DCL y Alzheimer que caminaban al menos 20 minutos diarios durante toda la semana mostraron un deterioro mental más lento y menos pérdida de memoria que quienes no caminaban.
Y también se encontraron esos mismos resultados entre los participantes sanos.
"Durante 20 años hemos estado estudiando a individuos de edad avanzada para ver si la actividad física puede realmente conservar el volumen cerebral con el paso de los años y reducir el riesgo de la enfermedad de Alzheimer" explicó a la BBC el doctor Cyrus Raji, de la Universidad de Pittsburgh, Estados Unidos, quien dirigió el estudio.
"Descubrimos que caminar unos 10 kilómetros a la semana logró, en el curso de 10 años, proteger la estructura cerebral y reducir el riesgo de Alzheimer en cerca de 50%".
"Y en la gente que ya tiene Alzheimer y DCL, encontramos que el ritmo de deterioro cognitivo y degeneración cerebral también logró reducirse", agrega el científico.
Más volumen, mejor cerebro
En los casos donde se presenta DCL la persona muestra problemas cognitivos o de memoria que superan los problemás típicos de pérdida de memoria asociada a la vejez, pero no son tan serveros como los que se presentan con la enfermedad de Alzheimer.
Los estudios demuestran que cerca de la mitad de las personas que presentan DCL desarrollan Alzheimer.
Los individuos involucrados en el estudio eran participantes del llamado Estudio de Salud Cardiovascular llevado a cabo en Estados Unidos por los Institutos Nacionales de Salud.
Los científicos llevaron un registro de cuánto caminaba cada persona a la semana. Y a los 10 años fueron sometidos a exámenes de imágenes por resonancia magnética (IRM) en 3D para identificar los cambios en su volumen cerebral.
"El volumen es un signo muy importante del cerebro" explica el doctor Raji.
"Cuando éste disminuye significa que las células cerebrales están muriendo. Pero cuando el volumen sigue siendo grande se mantiene la salud cerebral", agrega.
Los participantes también fueron sometidos a una "mini prueba del estado mental" o MMSE, un método diseñado para calificar el deterioro intelectual cada cinco años y monitorear su evolución.
Los resultados mostraron que entre más caminaba un participante, más volumen cerebral mantenía.
Ejercicio "al alcance"
"Vimos que los individuos que ya tenían Alzheimer sólo tenían que caminar 8 kilómetros a la semana para preservar su volumen cerebral y reducir su deterioro cognitivo y de memoria".
"Esto no es mucho ejercicio -agrega el investigador- es un poco más de 1,5 kilómetro al día".
La actividad física mejora el flujo de oxigeno al cerebro y nutre las células.
Entre los adultos sanos, se logró mantener el volumen cerebral y reducir el deterioro cognitivo caminando 10 kilómetros a la semana.
"Éste fue el resultado del estudio que más me sorprendió" dice el doctor Raji.
"Que la gente que ya tenía enfermedad de Alzheimer, no sólo logró mantener su volumen cerebral sino también logró reducir en más 50% su pérdida de memoria en un curso de 10 años".
"Ésta es una reducción enorme en la pérdida de memoria y demuestra lo importante que es que la gente que ya tiene Alzheimer -y por supuesto también la gente sana- salga a caminar".
Los científicos creen que existe una asociación entre los beneficios físicos de caminar y la mejora en el volumen cerebral.
"Caminar, igual que cualquier actividad física, mejora el flujo de sangre hacia el cerebro lo cual aumenta el nivel de oxigeno y nutrientes en las células que a su vez las ayuda a mantener sanas y viables durante la vejez" explica el doctor Raji.
"El Alzheimer es una enfermedad devastadora, y desafortunadamente caminar no es una cura. Pero caminar puede mejorar la resistencia del cerebro a la enfermedad y reducir la pérdida de memoria".
Las caminatas, subraya el investigador, deben ser regulares. Y entre más temprano se empiece a caminar en la vida mayor el efecto que se obtendrá con el tiempo.
Actualmente viven en el mundo unos 35 millones de personas con demencia y se cree que esa cifra se duplicará cada 20 años. Eso significa que para el año 2050 habrá en el mundo 115 millones de personas con esta enfermedad.

Neva por toda a Europa

Neva por toda a Europa
30/11 19:34 CET
A Europa treme de frio, coberta por um manto branco pouco comum nesta época do ano.
Da Polónia a Portugal, a neve estende-se por todo o continente com temperaturas que atingem, em alguns locais, os 22 graus negativos.
Na Alemanha, centenas de voos foram já anulados. Na manhã de terça-feira, só no aeroporto de Frankfurt, a maior plataforma europeia de tráfego aéreo, foram cancelados 200 voos.
Muitos passageiros preparam-se para passar a segunda noite nos terminais.
A neve e o gelo estiveram na origem de numerosos acidentes com vários mortos e feridos.
Na Grã-Bretanha, os aeroportos de Edimburgo e New Castle foram encerrados por diversos períodos desde domingo. As ligações ferroviárias estão também fortemente afectadas e muitas escolas do norte do país estão fechadas.
 No norte e centro de França, as temperaturas estão a bater recordes negativos dos últimos 46 anos. A circulação rodoviária está fortemente condicionada, muitas escolas estão encerradas e há milhares de casas sem electricidade.
Em Portugal, é também sobretudo o norte e o centro do país que estão a sofrer as consequências desta vaga de frio. Os serviços de meteorologia prevêm que a neve e as baixas temperaturas se mantenham até quinta-feira, nas terras altas.
Copyright © 2010 euronews

Dia Mundial de Luta contra a Aids

Redução de novas infecções marca Dia Mundial de Luta contra a Aids
30.11.2010
Großansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: Número de novos casos se estabilizou em pelo menos 56 países, diz Unaids
Números de pessoas infectadas pelo HIV em 2009 foi 19% menor do que no mesmo período dez anos atrás. Ainda assim, o vírus se espalha em ritmo alarmante. Sete mil novos casos são registrados por dia em todo o mundo.
Em 2010, o 1° de dezembro, Dia mundial de Luta contra a Aids, ganha um novo fôlego. O relatório sobre a epidemia divulgado pela Unaids mostra que o número de infecções pelo vírus HIV caiu quase 20% nos últimos dez anos.
O estudo da Unaids, programa das Nações Unidas que coordena a campanha de combate à aids, ressalta um fato inédito: pela primeira vez, a queda do número de novas infecções está ligada à disseminação do conhecimento sobre o HIV.
O relatório publicado pouco antes do dia mundial de combate à epidemia indica que, em 2009, aproximadamente 2,6 milhões de pessoas se infectaram. O número é 19% menor do que os 3,1 milhões estimados em 1999 e 21% inferior ao ano de pico de novos infectados, 1997.
Para a Unaids, os dados positivos também refletem alterações em normas sociais e a adoção de uma conduta sexual mais segura. "Há evidências de que os programas de prevenção estão produzindo resultados significativos", diz Michel Sidibé, diretor-executivo da entidade.
As campanhas de prevenção parecem seguir um bom rumo, mas ainda há motivos para alerta: "mais de 7 mil novos casos de infecção por dia ainda é algo inaceitável", brada Sidibé.
Casos estáveis
Pelo menos 56 países conseguiram estabilizar as taxas de infecção pelo vírus HIV, dentre eles a Alemanha. Em 2009, aproximadamente 3.300 alemães contraíram o vírus da aids. Estima-se que 67 mil pessoas vivam com a doença na Alemanha. A maior parte desse total, cerca de 55 mil, é composto por homens.
Entre homens que mantêm relações sexuais com o mesmo sexo, a Unaids observou um retorno dos casos de infecção por HIV em diversos países ricos. Na Europa Oriental e Ásia Central, por outro lado, os casos da doença continuam aumentando entre os usuários de drogas injetáveis e seus parceiros sexuais.
A Unaids também divulgou que em 33 países a incidência de HIV caiu mais que 25% entre 2001 e 2009. Dessas nações, 22 estão localizadas na África Subsaariana. No entanto, mais da metade dos novos casos de infecção pelo HIV em 2009 foi registrada justamente em países africanos subsaarianos: aproximadamente 1,8 milhão de novas infecções. Ainda assim, o número é inferior aos 2,2 milhões registrados em 2001.
Exemplos bem-sucedidos
Em todo o mundo, existiam em 2009 aproximadamente 33,3 milhões de pessoas infectadas, contra 26,2 milhões em 1999, afirma a Unaids. O programa das Nações Unidas não publicou dados precisos sobre o Brasil. Segundo o relatório, a estimativa é que, em 2009, havia entre 460 mil a 810 mil infectados no país.
Na semana em que se comemora o Dia Mundial de Luta contra a Aids, o diretor-executivo da Unaids faz uma visita oficial ao Brasil. Nesta segunda-feira (29/11), Michel Sidibé foi conhecer o projeto Viva Cazuza, no Rio de Janeiro.
A sociedade assiste crianças e adolescentes carentes portadores do vírus da aids, assim como pacientes adultos em tratamento na rede pública da cidade. O projeto foi fundado em 1990 em memória do cantor Cazuza, que faleceu naquele ano vitimado pela doença.
Autora: Nádia Pontes
Revisão: Carlos Albuquerque

eutanásia

Há dez anos a Holanda aprovava a eutanásia
Data de publicação : 29 Novembro 2010 - 1:05pm
Por Marco Hochgemuth (Foto: Fotwardcom) Assuntos relacionados: brasileiros assassinados na Holandaeutanásiasaúde
Há exatos dez anos a Holanda aprovava a lei da eutanásia. Com isso, foi o primeiro país a permitir a assistência médica para pôr fim à vida. Por que outros países não seguiram este exemplo?
A Holanda gosta de se ver como país modelo. Em 2001, o então prefeito de Amsterdã, Job Cohen, celebrou o primeiro casamento gay enquanto o mundo observava. Desde então, mais de dez países incorporaram o casamento gay a suas leis.
No ano 2000, a Holanda foi o primeiro país a aprovar a eutanásia. Esta lei holandesa também ganhou atenção mundial, mas não houve admiração. Depois da Holanda, apenas dois outros países deram o mesmo passo: a Bélgica, em 2002, e Luxemburgo, em 2009.
Discussão
“Trata-se, no caso da eutanásia, de importantes questões de ética-médica, portanto outros países não podem simplesmente adotar a mesma lei holandesa”, diz Walburg de Jong, da associação para a eutanásia voluntária. “Na Holanda, discutiu-se o assunto por 30 anos antes da lei ser aprovada. A discussão teve início com os cidadãos e acabou na política. Curiosamente, na Bélgica aconteceu exatamente o oposto dois anos depois. Lá havia um governo que também propunha uma lei assim, então a lei da eutanásia lá veio de cima para baixo.”
Além dos países Benelux, a eutanásia também é prevista em lei na Suíça e nos estados norte-americanos do Oregon, Washington e Montana. Mas há uma diferença: lá um médico pode dar os remédios a alguém que queira pôr fim à própria vida, mas terminar ativamente com a vida de um paciente, por exemplo, administrando uma dose muito alta de morfina, não é permitido.
Mudança cultural
Regulamentar a eutanásia exige uma enorme mudança cultural. Porque o Estado deve sempre proteger seus cidadãos, e isso em princípio vai contra uma ação assistida para pôr fim à própria vida.
Internacionalmente, há apenas duas situações nas quais o Estado aprova a morte de pessoas por motivos profissionais, explica Evert van Leeuwen, professor de ética-médica em na Universidade de Nijmegen:
“Um carrasco executando uma sentença de morte pode-fazê-lo, e também é permitido em situações de guerra”, diz Van Leeuwen. “Na Holanda temos uma outra visão sobre isso. Um médico aqui pode escolher entre seu juramento e o desejo do paciente. Se o desejo do paciente é morrer, o médico pode ajudar nisso.”
O que é permitido em muitos países é a sedação paliativa. Desta forma, o médico põe um paciente sob sedação profunda e o tratamento é interrompido.
Aberto e pragmático
Para os holandeses, parece ser mais fácil aceitar a ideia de que um médico pode ajudar ativamente a pôr fim a uma vida graças a conhecidos valores nacionais como tolerância, transparência e controle.
“Por causa da grande tolerância, o desejo de outras pessoas é levado a sério. E por nossa abertura, é muito mais fácil falar aqui sobre o desejo de morrer”, acredita o professor Van Leeuwen.
Os holandeses também são pragmáticos e querem regrar e organizar tudo. Além do mais, a igreja – feroz opositora da eutanásia – tem pouca influência sobre a vida privada da população na Holanda.
Lei ‘nazista’
Ao invés de seguidores, a política de eutanásia holandesa recebeu muitas críticas internacionais nos últimos dez anos:
“Depois da eutanásia e assassinato de crianças, o próximo passo na Holanda provavelmente será uma pílula de suicídio para pessoas que estão cansadas da vida. Deve demorar mais alguns anos para que isso seja legal.” (Greg Burke, correspondente da Fox News)
“As leis nazistas e as ideias de Hitler estão voltando através da lei holandesa da eutanásia e do debate sobre como crianças doentes serão mortas.” (Carlo Giovanardi, ministro italiano)
Estas imagens assustadoras não são apoiadas pelas cifras: o número de casos de eutanásia ativa está há anos em torno de 2500, um pouco abaixo do que antes da aprovação da lei da eutanásia. Já a crítica sobre o assassinato de crianças se refere a um protocolo médico de alguns neonatologistas sobre pôr fim à vida de bebês recém-nascidos em casos de sofrimento insuportável e quando não há esperança de sobrevivência. De acordo com o professor Van Leeuwen, este protocolo, na prática, quase não é utilizado. “Pode-se questionar se ele era mesmo necessário”, conclui Van Leeuwen.
FONTE

Fumo passivo

Fumo passivo mata 600 mil por ano, diz OMS

Sex, 26 Nov, 09h17

Por Kate Kelland


Imagem de advertência impressa em maços de cigarro brasileiros é vista em foto divulgada em 2008 pelo Ministério da Saúde.
LONDRES (Reuters) - Cerca de 1 por cento das mortes mundiais se devem ao tabagismo passivo, o que significa estimados 600 mil óbitos anuais, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira.
No primeiro estudo mundial já feito sobre isso, os especialistas da OMS concluíram que as crianças são mais expostas ao fumo passivo do que qualquer outra faixa etária, e que cerca de 165 mil delas morrem por causa disso.
"Dois terços dessas mortes ocorrem na África e no sul da Ásia", escreveu a equipe liderada por Annette Pruss-Ustun.
A exposição das crianças à fumaça de cigarros é mais comum dentro de casa, e o problema é agravado pela maior incidência de doenças infecciosas nessas regiões.
Em comentário sobre o estudo na revista Lancet, Heather Wipfli e Jonathan Samet, da Universidade do Sul da Califórnia, disseram que as autoridades deveriam tentar motivar as famílias a pararem de fumar dentro de casa "Em alguns países, lares livres de fumaça estão se tornando a norma, mas isso está longe de ser universal", escreveram.
Os pesquisadores examinaram dados de 192 países, colhidos desde 2004, e empregaram um modelo matemático para estimar o número de mortes e o número de anos de vida saudável que são desperdiçados.
Em 2004, em nível mundial, estavam expostos ao fumo passivo 40 por cento das crianças, 33 por cento dos homens não-fumantes e 35 por cento das mulheres não-fumantes.
Isso teria provocado 379 mil mortes por doenças cardíacas, 165 mil por infecções respiratórias, 36,9 mil de asma e 21,4 mil de câncer de pulmão. A isso se somam 5,1 milhões de mortes anuais atribuídas ao uso direto do tabaco.
Entre crianças, as mortes pelo fumo passivo se concentram nos países de baixa e média renda. Entre adultos, elas se distribuem de forma mais homogênea.
Nos países mais ricos da Europa, por exemplo, foram registradas apenas 71 mortes infantis por causa do fumo passivo, e 35.388 mortes de adultos. Na África, foram 43.375 mortes infantis e 9.514 adultas.
Pruss-Ustun defendeu que os países cumpram a Convenção-Quadro da OMS para o Controle do Tabaco, que inclui maior taxação sobre cigarros, embalagens menos atraentes, proibição da publicidade e outras medidas.
Só 7,4 por cento da população mundial vive em áreas com leis rígidas contra o fumo, mas nem sempre elas são suficientemente fiscalizadas.
FONTE

domingo, 28 de novembro de 2010

Baviera

Párocos evangélicos homossexuais poderão morar com companheiros na Baviera

Berlim, 25 nov (EFE).- Os sacerdotes evangélicos homossexuais do estado alemão da Baviera poderão conviver nas casas paroquiais com seus parceiros, decidiu nesta quinta-feira a maioria absoluta do sínodo da Igreja Evangélica local.
A reunião aprovou a medida com 98 votos a favor, cinco contra e cinco abstenções, seguindo assim a recomendação prévia emitida pelo Conselho Evangélico do Estado da Baviera, informou o bispo Johannes Friedrich.
Assim, a partir de agora, os pastores homossexuais e as pastoras lésbicas poderão solicitar permissão à Igreja evangélica para compartilhar as dependências paroquiais com seus respectivos companheiros e companheiras.
A hierarquia eclesiástica decidirá cada caso individualmente, analisando se a convivência comum não afetará o trabalho pastoral do sacerdote.
A Igreja Evangélica Alemã deixa nas mãos das Igrejas regionais a decisão sobre a convivência dos casais homossexuais, por isso a regra varia entre os estados da Alemanha.
O caso da Baviera é especialmente chamativo, porque é considerado a região mais tradicionalista da Alemanha.
Atualmente, o país conta com mais de 24 milhões fiéis evangélicos. EFE
FONTE

'ONU' de guias espirituais

Rabino de Israel sugere criação de 'ONU' de guias espirituais

Um dos grandes rabinos de Israel, Yona Metzger, acredita que a comunidade internacional deveria criar uma instituição ecumênica para dissipar as tensões entre as religiões e, com isso deslegitimar, todos os que dizem matar em nome de Deus.

"A desconexão entre os líderes religiosos é tão grande que deveríamos escutar e conhecer as opiniões de cada um", disse Metzger.
Ele assegurou que o "Não matarás" só tem uma interpretação e é comum em todas as confissões. Coloca que seu "sonho" seria um organismo "como o da ONU" ou "dentro da ONU", que reúna representantes religiosos e guias espirituais de todos os países e religiões para que dialoguem e, em caso de crise, contribuam para dissipar as tensões.
Consultado sobre o conflito palestino-israelense, o Rabino de Israel encoraja as partes a "negociar" porque "é importante falar, escutar o outro".


FONTE 1
FONTE 2

sábado, 27 de novembro de 2010

Estudo das Profecias

Estudo das Profecias

Décima Oitava palestra da série:
Profecias para o Tempo do Fim.
Tema: Apocalipse 12 e 13

Trata-se da série conduzida pelo Pr. Roberto Motta diretamente da Cidade de Mirassol/SP, tratando de forma abrangente os tópicos da profecia bíblica para os últimos dias.
FONTE

A conduta fala mais alto do que as palavras

A conduta fala mais alto do que as palavras
Vida Saudável
Para Sua Reflexão
Escrito por Levi Zadok on Sex, 12 de Novembro de 2010 16:54
Nenhum caminho é seguro a não ser quando ele se torna mais claro e firme à medida em que nele prosseguimos. O pé pode às vezes deslizar na trilha mais confiável. Para andar sem medo, precisamos saber que nossa mão está firmemente segura em Deus. Devemos evitar pensar mesmo por poucos segundos que não existe perigo para nossa vida. Isto não significa que andaremos com medo, assustados, mas que seremos prudentes e humildes.
Pessoas sábias também cometem erros que complicam a vida de alguma forma. As pessoas mais fortes falham várias vezes. Os que são imprudentes, orgulhosamente confiantes em si mesmos ou nos bens materiais que possuem, os que são teimosos e prepotentes e que avançam pelos caminho proibidos por Deus em Sua Palavra, a Bíblia, falando ousadamente que têm o controle de tudo e que podem interferir no que quiserem usando métodos corruptos ou de abuso de poder, caminham por uma senda de precipícios. Podem cair à qualquer momento. Podem até recuperar-se de tombos, mas pode não haver recuperação.
Muitas pessoas nesse mundo, em qualquer sociedade, vão vivendo como se fossem semideuses, manipulando a opinião pública com a mídia, atuando com mão de ferro sobre seus funcionários para a obterem riqueza de forma obsessiva e insaciável, trapaceando com propinas, mesmo no meio chamado “cristão”. Estes estão à beira do precipício e o desprezam como se fossem imunes à Justiça Maior. Podem ser imunes à justiça que se corrompe nesse mundo. Mas não podem manipular a Divindade Verdadeira que é misericordiosa para com eles, é verdade, mas que também é justa e fará justiça real oportunamente.
Davi foi um rei em Israel e cometeu grandes erros como líder da nação, culpado de assassinato,, adultério, traição ao seu general Urias. Ele não foi um homem “segundo o coração de Deus” a não ser após seu arrependimento sincero e após se humilhar diante da Grande Juiz que tudo vê e julga com justiça real.
Certa vez (veja em 2 Samuel, capítulo 11 e verso 1, na Bíblia) ele enviou seu comandante Joabe em seu lugar para uma batalha, e ficou acomodado no palácio. Ele havia começado a crer que era realmente mais especial que seus homens e, por isso, não deveria ser exposto ao perigo. Davi ainda não havia aprendido que, quase sempre, os maiores perigos provêm de dentro de nós mesmos, não de fora. Nossa maior luta é com a gente mesmo. Os líderes de uma nação só poderão cuidar bem do povo quando aprenderem a cuidar bem de si no sentido de vencerem suas próprias tendências corruptas, desonestas, maldosas, perversas, mentirosas. A conduta de um povo é muito influenciada pela sua liderança.
O grande problema com o poder ou a autoridade é que facilmente nos leva a torcer nossa percepção. Ao assumir uma liderança podemos começar a achar que somos melhores que os outros e estamos acima das leis ou regras que se aplicam aos outros.
Um dia almoçava num restaurante quando ouvi o filho do prefeito dizer com arrogância sobre ele ser multado (ele havia deixado o carro em fila dupla e alguém o advertiu sobre ser multado): “Eu falo com meu pai, e ele logo manda tirar a multa!” O pior é que o pai fazia isto mesmo, quebrando a lei a qual ele deveria ser o principal observador.
Aquele cujo coração está cheio do amor que vem de Deus não permite em sua vida exaltação própria nem a desonestidade. A pessoa que é realmente “nascida de novo”, como Jesus disse, nascida do Espirito Santo, não é a que fala em línguas, pois não há nenhum sentido para os ouvintes em um serviço religioso falar em línguas que ninguém entende, porque segundo a Bíblia, o falar em línguas sempre é útil para alguns ouvintes (que não falam o idioma do pregador), sempre é entendida por parte da audiência (que não tem o dom de línguas) e sempre é uma lingua conhecida por algum povo desse planeta. Jesus disse que a pessoa que é espiritualmente nascida de novo revela Cristo no dia a dia de suas práticas gerais, sendo uma pessoa justa nos seus negócios, não faz nada de desleal ou de desonesto. Conheço muitos que não se ufanam de serem cristãos ou religiosos, mas que são pessoas confiáveis, honestas e ajudadoras. A conduta fala mais alto do que as palavras.
FONTE

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Grã-Bretanha

Hacker britânico que controlava webcams é condenado a 18 meses de prisão
Segundo a polícia, Matthew Andersno operava na sala da casa de sua mãe.
Um hacker britânico foi condenado a um ano e meio de prisão por invadir os computadores de outras pessoas, roubando dados pessoais e até controlando remotamente as suas webcams.
Matthew Anderson, 33 anos, foi preso em junho de 2006 em Drummuir (Escócia) por fazer parte de uma rede de “piratas” que roubavam dados de usuários. Mais duas pessoas foram presas na operação - uma em Suffolk (Inglaterra) e outra na Finlândia.
Anderson teria sido o responsável por enviar milhões de mensagens de spams que instalavam um vírus nos computadores das pessoas que abrissem as mensagens. A ação afetou usuários na Grã-Bretanha e na Finlândia.
Com o vírus instalado, Anderson não só era capaz de acessar dados pessoais das vítimas, mas também de controlar as câmeras dos computadores infectados, efetivamente espionando as casas das pessoas sem ser reconhecido.
A investigação da polícia descobriu que Anderson tinha guardadas imagens das casas das pessoas afetadas, assim como cópias de documentos particulares, como contas, relatórios médicos, currículos, listas de senhas e fotografias.
Segundo a polícia, o hacker britânico operava na sala da casa de sua mãe.
Anderson foi condenado nessa terça-feira pelo tribunal de Southwark Crown, em Londres, por "modificação não autorizada de sistemas de informática".
Segundo a Polícia Metropolitana de Londres, a rede agia desde 2005, tendo centenas de empresas britânicas como alvo principal. Acredita-se que dezenas de milhares de computadores foram infectados pelos hackers.

EE.UU

EE.UU: Obama y su poder de desconectar internet
Daniel Nasaw
BBC, Washington
 El próximo Congreso estará bajo presión para reforzar las defensas cibernéticas del país.
Amparado en una ley de la Segunda Guerra Mundial, el presidente de Estados Unidos, Barack Obama, tendría el poder de desconectar de internet a computadores y servidores en caso de una emergencia nacional. Pero el próximo Congreso está a punto de cambiar eso.
La ley fue aprobada en 1942. El ataque de Japón a Pearl Harbour provocó el temor de una invasión y el Congreso respondió dándole al presidente Franklin Roosevelt amplios poderes para controlar redes telefónicas y de telégrafos.
Ahora casi 70 años después, las redes de telégrafos desaparecieron y el teléfono es apenas una de varias formas de comunicación.
Y aunque la ley de 1942 no menciona internet, el gobierno de Obama le dijo al Congreso en junio que citaría la ley en caso de emergencia.
No ha sido probada en tribunales, pero expertos dicen que la sección 706 (d) de la Ley de Comunicaciones podría dar al presidente una autoridad de amplio alcance para apagar sistemas clave de computación.
A la ley se la conoce ahora como el "interruptor presidencial de internet".
¿Autoridad del presidente?
El presidente podría ordenar la desconexión de internet para proteger las infraestructuras en caso de amenaza.
El próximo Congreso, que asume funciones en enero, estará bajo presión para reforzar las defensas cibernéticas del país, y analistas de seguridad, defensores de la libertad en internet y senadores dicen que los legisladores deben actualizar esos poderes de emergencia para limitar o, al menos, definir más claramente la autoridad del presidente.
Un analista le explicó a la BBC que si los sistemas de computación en las instalaciones eléctricas y de gas natural de Washington fueran infectadas por un potente virus, el presidente podría ordenar que se desconecten de internet para proteger la infraestructura física.
En otro escenario hipotético, el presidente podría ordenar el cierre de las redes que albergan los servicios financieros de Wall Street para evitar un inminente ciber ataque.
En ambos casos, las situaciones tendrían consecuencias para las compañías y los individuos.
"Efecto contagio"
Y activistas por las libertades civiles están preocupados por la posibilidad de que se abuse de los poderes que brinda la ley.
No está claro si la desconexión de las redes de EE.UU. afectaría a internet en el resto del mundo, además de, por ejemplo, bloquear a los usuarios el acceso a una página web popular.
Greg Nojeim, del Centro para la Democracia y la Tecnología, dijo que había "un alto riesgo" de "un efecto contagio en otros países".
Sin embargo, es casi imposible para el presidente de EE.UU. -o para un solo agente- desconectar todo internet.
Guerra cibernética
Algunas voces advirtieron desde el Pentágono de infiltraciones en las computadoras militares.
El debate sobre la autoridad del presidente en una guerra cibernética llega en medio de la creciente evidencia de que algunos países están desplegando ciber armas contra adversarios.
El potente virus Stuxnet, que infectó computadoras a lo largo del mundo, habría sido diseñado específicamente para atacar los sitios nucleares de Irán.
Algunos analistas aseguran que el gusano era tan sofisticado que solo podría haber sido lanzado por un país.
Tan solo este año, instituciones del gobierno de EE.UU. sufrieron 1.800 millones de ciber ataques por mes.
Y las autoridades también temen por este tipo de ataques contra el sector privado, que opera hasta el 85% de la infraestructura clave del país: plantas de energía, proveedores de internet y compañías telefónicas, entre otras.
El grupo bipartidista de senadores que participa actualmente en modificar las leyes de seguridad cibernética son conscientes de la amenaza que representan este tipo de ataques.
Poderes "mejor definidos"
Los senadores republicanos sostienen que los poderes del presidente deben estar mejor definidos y delimitados.
Sin embargo, sostienen que los poderes del presidente deben estar mejor definidos y delimitados.
"La autoridad del presidente para hacer frente a un ataque cibernético catastrófico dirigido a la infraestructura crítica será cuidadosamente definido y limitado", dijo la senadora republicana Susan Collins.
"El presidente no tendría la autoridad para tomar el poder de las infraestructuras críticas", agregó.
Algunos incluso cuestionan la necesidad de que el presidente tenga estos poderes de emergencia.
Greg Nojeim, del Centro para la Democracia y la Tecnología, dice que las empresas de internet están mejor equipadas que el gobierno para decidir si deben cerrar sus sistemas o bajarlos de internet.
Y para James Lewis, director del programa de tecnología y políticas públicas en el Centro de Estudios Estratégicos Internacionales en Washington, se pregunta si el "interruptor presidencial de internet" sería eficaz teniendo en cuenta que los gusanos de internet recién suelen ser descubiertos tras atacar.
"Casi nunca llegan con un aviso previo", dijo.

lei anti-imigração

Similar a do Arizona
Califórnia pode adotar lei anti-imigração
Secretária de Estado da Califórnia explica que proposta 'transforma em crime o fato de pessoas sem documentos procurarem emprego ocultando o status migratório'
24/11/2010

Secretária de Estado da Califórnia, Debra Bowen

A Califórnia deu início nesta terça-feira, 23, a um período para a obtenção de assinaturas dos eleitores do estado para uma proposta chamada “Apoio à Lei de Imigração Federal”, que se assemelha à polêmica lei de imigração do Arizona.
A autorização para a obtenção do apoio dos eleitores foi dada pela secretária de Estado da Califórnia, Debra Bowen. Segundo ela, a proposta “transforma em crime o fato de pessoas sem documentos procurarem emprego ocultado o status migratório, assim como também criminaliza qualquer empregador que contrate uma pessoa sem documento deliberadamente ou por negligência”.
A proposta foi apresentada em setembro às autoridades da Califórnia por um ativista do movimento Tea Party.

Argentina

Argentina: Detido por violar a filha de quem teve 10 filhos
Por Redacção
Um homem de 62 anos foi preso por ter violado a filha. A vítima, que permaneceu 30 anos em cativeiro numa zona rural da Argentina, acabou por ter 10 filhos do pai, e aproveitou a presença da polícia para pedir ajuda.
A vítima, de 43 anos, acusou o pai de a ter violado durante três décadas, em Nicanor Molinas, província de Santa Fé (a 600 quilómetros de Buenos Aires). Durante esse período, teve 10 filhos fruto das relações forçadas com o próprio pai, como ficou provado depois de realizados os testes de ADN.
Segundo a denúncia da filha, a primeira violação ocorreu quando tinha apenas 13 anos, depois de a mãe morrer. A vítima revelou que o pai a ameaçava e espancava para evitar que ela contasse alguma coisa sobre os abusos sexuais de que era vítima.
No momento da detenção de um homem por roubo de gado na região, a filha aproveitou para fazer o denunciar à polícia. O caso já está na Justiça e o argentino de 62 anos pode agora ser condenado a 20 anos de cadeia.
16:55 - 25-11-2010
FONTE

bisfenol-A

União Europeia proíbe bisfenol-A em mamadeiras
Mamadeiras com bisfenol-A ficam proibidas na UE em 2011
A União Europeia anunciou nesta quinta-feira a proibição do elemento químico bisfenol-A em mamadeiras plásticas.
O bloco disse por meio de comunicado que a decisão foi tomada por temores de que o elemento, também conhecido como BPA, afete o desenvolvimento, o sistema imunológico e possa causar câncer em crianças pequenas.
A fabricação de mamadeiras com o bisfenol-A fica proibida a partir de março de 2011 e sua importação ou comercialização, a partir de junho.
No Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) permite o uso da substância desde que dentro do limite de 0,6mg para cada quilo de embalagem.
O Mercosul estabeleceu o limite, em 2008, por considerar que "dentro desse parâmetro a substância não oferece risco para a saúde da população", segundo a Anvisa.
A agência afirma que "acompanha a discussão e estudos internacionais sobre o tema" mas não tem previsão de reabrir o debate sobre o bisfenol.
A preocupação sobre o uso do bisfenol-A tem crescido internacionalmente.
O Canadá se tornou o primeiro país a tornar ilegal a substância, em setembro, apesar da oposição da indústria. França e Dinamarca baniram o bisfenol-A pouco depois.
O governo dinamarquês chegou a proibir o uso do produto em qualquer alimento para crianças de até três anos de idade.
FONTE

NIEVE

Nieve en la mitad norte peninsular este jueves por encima de los 400 metros
Un vehículo circula por la N-135 en el alto de Ibañeta que presentaba un aspecto invernal a causa de la últimas precipitaciones en forma de nieve (Imagen: EFE)
Se debe al frente frío que desde el miércoles invade el país.
La próxima semana, desde el lunes, viene otro frente polar.
La Agencia Estatal de Meteorología (Aemet) prevé para este jueves cotas de nieve entre los 400 y 700 metros en los Pirineos y en la cordillera cantábrica, así como tormentas en Canarias con vientos muy fuertes en las islas occidentales.
Cielo nuboso o muy nuboso en el área cantábrica, Alto Ebro, Pirineo occidental y Andalucía, con precipitaciones débiles y moderadas con tendencia a remitir al final del día. Predominio de cielos poco nubosos en el interior peninsular e intervalos nubosos con lluvias débiles ocasionales en Baleares.
Las temperaturas irán en ligero o moderado descenso en la mayor parte del país. Heladas débiles y moderadas en la mitad norte y centro peninsular. El viento será en el Cantábrico de componente norte o noroeste moderado.
En el litoral de Girona, Tarragona y zonas altas del Valle del Ebro, intervalos fuertes de noroeste, y al final del día será de levante fuerte en el Estrecho. En el resto, vientos flojos o moderados con predominio de la componente norte o este.
Dos semanas de frío
Por su parte, el portavoz de la Aemet ha señalado que, al primer "episodio invernal" que comenzó este miércoles con "la entrada de una corriente de aire frío que llegará desde las islas británicas, que dejará precipitaciones en forma de nieve en el Cantábrico", le seguira otro que comenzará el próximo lunes 29.
Será entonces, a partir de la próxima semana, cuando está previsto que todo el país se vea afectado por un temporal que "dejará precipitaciones en forma de nieve y temperaturas bajas que afectarán a todas las regiones durante varios días".

terça-feira, 23 de novembro de 2010

CÂNCER DE MAMA EM HOMENS

Britânico com câncer de mama faz campanha sobre a doença
Atualizado em 23 de novembro, 2010 - 08:09 (Brasília) 10:09 GMT
Um homem de 58 anos que foi diagnosticado com câncer de mama está fazendo uma campanha na Grã-Bretanha para conscientizar as pessoas sobre a incidência da doença também em homens.
McAllister ficou preocupado com a falta de informações para homens
O designer gráfico Steve McAllister, da cidade de Cardiff, no País de Gales, foi operado e está se recuperando bem da doença, que tende a ser associada às mulheres.
McAllister, que decidiu fazer um registro fotográfico de sua luta contra o câncer, quer que sejam oferecidos melhores serviços de apoio a homens com a doença.
Ele vem pedindo aos homens que não tenham vergonha de ir ao médico se suspeitarem que podem ter esse câncer.
O designer disse também que espera desenvolver material informativo sobre a doença direcionado especificamente a esse grupo.
Estigma
Em média, um em cada cem pacientes com câncer de mama é homem.
"Muitas pessoas ficam surpresas ao ouvir que homens também sofrem de câncer de mama. Até o farmacêutico perguntou por que haviam me receitado remédios para câncer de mama", disse McAllister.
Ele explicou que, na maioria dos casos, quando um homem encontra um nódulo na região do peito próxima dos mamilos, tende a não dar atenção ao fato.
"Eles pensam que é um cisto, não imaginam que pode ser câncer de mama", disse.
"Se encontrarem um nódulo ou algo estranho, é importante que aquilo seja checado."
"Você tem de ir ao seu clínico geral, não há estigma. Isso pode salvar sua vida."
Após visitar o médico reclamando de um nódulo no lado esquerdo do peito e de desconforto, McAllister foi submetido a uma mamografia.
O exame identificou o câncer que estava, na verdade, no lado direito do seu peito.
Para mulheres
McAllister diz que se preocupa com o fato de que, após ser diagnosticado, recebeu folhetos informativos escritos exclusivamente para mulheres.
"Não tenho problemas em mostrar minha cicatriz a qualquer um", disse. "Isso torna todos com quem falo mais conscientes sobre os riscos de câncer de mama (em homens)."
O especialista em câncer de mama Sumit Goyal, do University Hospital Llandough, no País de Gales, aplaudiu a campanha de McAllister para que haja mais apoio a homens afetados pela condição.
"Muitos teriam dificuldade em falar publicamente sobre uma condição que, para a maioria das pessoas, estaria associada apenas às mulheres".
Segundo o especialista, homens com idade em torno de 50 anos precisam estar conscientes dos riscos de câncer de mama.
"Câncer de mama também mata homens", disse Goyal.

epidemia de ratos

Rara epidemia de ratos destrói colheitas no sudeste asiático
De acordo com pesquisadores, explosão populacional de roedores está associada à abundância de alimentos, como semente de bambu
Foto: University of Greenwich
BBC Brasil
22/11/2010 11:12
Em Mianmar, governo paga por cada cauda de rato
Um peste de ratos que ocorre uma vez a cada 50 anos está devastando plantações no sudeste da Ásia, provocando fome em muitas regiões.
Pesquisas confirmaram que a explosão da população de roedores é causada pela abundância de alimentos, em particular de uma semente de bambu.
Segundo cientistas, o fenômeno é um exemplo de como a simples relação entre duas espécies – uma vegetal e um pequeno roedor – pode virar toda a ecologia de pernas para o ar e destruir a agricultura.
Os pesquisadores também advertiram que as mudanças climáticas poderão propiciar o surgimento de uma população de ratos ainda maior no futuro, agravando o problema.
Rara ocasião
Florestas da espécie de bambu Melcocanna baccifera cobrem mais de 26 mil quilômetros quadrados no nordeste da Índia, se estendendo até Mianmar e Bangladesh.
Delas, os agricultores extraem material usado na construção, no vestuário e até na alimentação das populações locais.
A espécie, inestimável para os humanos, aniquilou outras espécies “competidoras” na região e transformou toda a área em uma espécie de “carpete” de florestas.
A questão é que, aproximadamente a cada de 50 anos, o ciclo de vida do bambu chega ao fim e esse carpete morre. Independentemente das condições ambientais da época, algo no relógio biológico da espécie avisa à planta que é hora de florescer, lançar sementes e morrer.
"Quando as sementes de bambu caem, o que sobra são 80 toneladas de sementes por hectare", explica o ecologista da Universidade de Greenwich, em Londres, Steve Belmain.
"Ou seja, são 80 toneladas de alimentos no chão, esperando para serem consumidas."
Belmain diz que a mais recente fase de florescimento das plantas, que começou em 2004 e deve continuar até 2011, é uma oportunidade única de estudar um evento que ocorre geralmente uma vez em cada século.
"Antes disso, tudo o que tínhamos eram os relatos de 50 anos atrás", disse o pesquisador à BBC.
"Eles tinham se tornado lenda, porque muita gente que hoje vive na região nem estava viva na última ocasião. São muitas as histórias fantásticas que dificultam a separação entre realidade e ficção."
Prejuízos
Para os fazendeiros da região, o maior problema é que as de arroz ficam especialmente vulneráveis às pestes durante este período.
Belmain diz que, quando os ratos chegam, muitos agricultores nem se dão ao trabalho de fazer o plantio. Apenas aceitam a realidade.
FONTE

HIV

Brasil tem um terço dos portadores de HIV na América Latina, diz ONU

Segundo relatório, país tem entre 460 mil e 810 mil contaminados
BBC Brasil
23/11/2010 17:13

Cerca de um terço dos portadores do vírus HIV na América Latina são brasileiros, segundo aponta um estudo sobre a epidemia global de Aids divulgado nesta terça-feira pela ONU.
A pesquisa, realizada pelo programa das Nações Unidas para a Aids (Unaids), também indica que 1,2 milhão de anos de vida de pacientes contaminados pelo HIV foram ganhos no Brasil entre 1996 e 2009, graças ao tratamento antirretroviral.
No entanto, segundo o estudo, a projeção do número de pessoas contaminadas com o vírus no Brasil cresceu nos últimos anos, ficando entre 460 mil e 810 mil pessoas em 2009, contra um mínimo de 380 mil e um máximo de 560 mil em 2001. Entre 360 mil e 550 mil dos infectados com HIV no Brasil têm 15 anos ou mais, segundo informa o relatório. Já o número de mulheres adultas contaminadas no país em 2009 ficou entre 180 mil e 330 mil.
O número de mortes relacionadas à Aids no Brasil ficou entre 2 mil e 25 mil em 2009, contra um mínimo de 7,2 mil e um máximo de 24 mil em 2001. Já o número de novas infecções em 2009 se situou entre 18 mil e 70 mil. A pesquisa indica ainda que o Brasil é um dos países de média e baixa renda com melhor situação em termo de prioridade de investimento para a prevenção do HIV. Entre zero e um, o país obteve uma nota 0,8 no índice.
A estimativa do número de infectados com o HIV nas Américas do Sul e Central cresceu pouco nos últimos anos, passando de algo entre 1 milhão e 1,3 milhão em 2001 para entre 1,2 milhão e 1,6 milhão em 2009. Números globais O número estimado de portadores do HIV em todo o mundo, segundo a Unaids, é de 33 milhões de pessoas. Em 2009, foram registrados 2,6 milhões de novos casos - uma redução de 19% em relação ao pico da epidemia, em 1999.
Já as mortes relacionadas à Aids no mundo ficaram em 1,8 milhão em 2009, uma queda em relação aos 2,1 milhões de 2004. Segundo o estudo da ONU, o número de portadores do HIV com acesso a medicamentos antirretrovirais no mundo cresceu de 700 mil pessoas em 2004 para mais de 5 milhões em 2009.
A região da África subsaariana continua sendo a mais afetada pela epidemia no mundo. Estima-se que cerca de 70% das novas contaminações pelo vírus da Aids ocorram nesta parte do mundo. O relatório considera que a epidemia global de Aids foi revertida e está em tendência de queda. A questão mais importante, para a Unaids, é atingir as metas de "zero discriminação, zero novas infecções pelo HIV e zero mortes relacionadas à Aids".

domingo, 21 de novembro de 2010

POLUIÇÃO

Uma cidade dominada pelo céu de poluição
Vendo de cima    
      
 A poluição da cidade russa é vista de cima pela fotógrafa Elena Chinarina
Na segunda semana de novembro, diversos sites disponibilizaram fotos da cidade, tiradas pela fotógrafa Elena Chinarina. Algumas dela você conferiu nesta galeria.
                              
 Muitas famílias deixaram o local porque não conseguiam conviver com as nuvens de poluição da cidade
Os requerentes argumentavam a transferências das famílias que moravam na região insdustrial para lugares mais seguros. Em 1999, após a participação de organizações europeias, a corte acordou que a federação russa tinha violado a Convenção Europeia dos Direitos Humanos e ordenou que o governo pagasse os custos da relocação.
                             
 A poluição era tamanha que os moradores de Cherepovets abriram uma ação contra a principal indústria da região
Em 1995, a senhora Nadezhda Fadeyeva, que sofria de problemas de respiração, e outros cidadãos de Cherepovets abriram uma ação contra a principal usina do polo, a metalúrgica Severstal.
                           
Além da poluição, os cidadãos de Cherepovets conviviam com muito barulho
O grupo se queixava que o nível de poluição e de barulho do ar estava mais próximo do que os limites assegurados pelas leis do governo do país, cerca de um quilômetro de distância das residências.
                            
 Nos dias de chuva e muito frio, a fumaça toma conta do céu da cidade de Cherepovets
Na cidade de Cherepovets, nordeste da Rússia, o principal motor da economia local é um centro industrial. A quantidade de siderúrgicas impressiona pelo número de prédios e de fumaça, que tomam conta do céu da cidade em dias de chuva e muito frio.

Cidades russas muito industrializadas enfrentam nuvens de poluição

A fotógrafa Elena Chinarina fez um ensaio sobre a qualidade de vida de cidades russas.
FONTE

sábado, 20 de novembro de 2010

Estudo das Profecias

Estudo das Profecias
Décima Sétima palestra da série Profecias para o Tempo do Fim.
Tema: O Selo de Deus e a Marca da Besta

Trata-se da série conduzida pelo Pr. Roberto Motta diretamente da Cidade de Mirassol/SP, tratando de forma abrangente os tópicos da profecia bíblica para os últimos dias.
FONTE

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Para vivir para siempre

Para vivir para siempre
por Miguel Valdivia
Tomado de El Centinela® de Noviembre 2010
El tema de la muerte es universal. Algunos lo perciben como el centro dinámico del orden social, la inspiración de la filosofía, el arte y las tecnologías médicas. Vende periódicos y pólizas de seguros. Nos horroriza y nos conmueve. Aunque sucede todos los días, todavía parece sorprendernos. Incluso, según la ciencia, casi todo lo que vemos unos de otros es materia muerta: la superficie de la piel, el cabello, las uñas.
Frente a la muerte, el ser humano se define. Nos obliga a buscar el sentido de la vida y el más allá. La manera en que nos referimos a ella revela lo que somos. Peter Metcalf señaló que “la vida se hace transparente contra el trasfondo de la muerte”.1 Nos hace pensar en lo que es realmente importante.
Uno de los impulsos centrales del ser humano es el deseo de vivir para siempre. El checo Franz Kafka dijo: “El hombre no puede vivir sin una confianza continua en algo indestructible dentro de sí mismo”.2
Este impulso se manifiesta en varios tipos de búsqueda: Algunos persiguen la inmortalidad biológica a través de su descendencia. Desean que sus hijos triunfen donde ellos fracasaron; se proyectan hacia el futuro en la persona de sus descendientes. Otros intentan preservar su organismo por medio de la congelación; o permanecer en la memoria de la gente por medio de obras de caridad, libros, monumentos o incluso infamias. Las pirámides de Egipto y el Taj Majal de la India son impresionantes monumentos al recuerdo de los muertos. Por su parte, las galerías de la fama en los deportes, los premios y las medallas intentan consagrar los logros humanos a la posteridad. Pero si tuviésemos que escoger entre la inmortalidad simbólica y la vida eterna, todos preferiríamos vivir.
Cuando una persona no desea vivir o atenta contra su propia vida, hay algo en ella que es contrario al instinto más natural del ser humano. Hasta en las condiciones más horribles y miserables, los seres humanos nos aferramos a la vida. Todos los ministros religiosos hemos escuchado alguna vez el patético clamor de enfermos en su lecho de muerte: “Yo quiero vivir. No quiero morirme”. Vivir es la necesidad más básica de todas.
¿Podemos vencer la muerte? ¿Podemos acaso detener el avance arrollador del tiempo que va desplomando y allanando nuestras más caras ilusiones?
Hemingway hizo famosa la frase “¿Por quién doblan las campanas?”3 Algún día repicarán por nosotros. ¿Será este el fin de todo lo que somos? ¿Será esta existencia todo lo que podemos esperar? ¿Tendremos que resignarnos a entrar por un lado del escenario y salir por el otro tras la más ligera y breve actuación, a veces sin aplausos?
La vida es algo más
Todos sentimos que la vida es más que existir y respirar; que tiene que ser más que una mera condición biológica. Y, ¿dónde encontramos el significado de nuestra vida? ¿En nuestro nombre y apellido? ¿En nuestro lugar en la sociedad o en la familia? ¿En nuestras posesiones?
Desde que tenemos uso de razón estamos buscando un lugar en el tiempo y el espacio. Y muchas veces elegimos caminos que conducen a la amargura y la destrucción, que no sobreviven la prueba del tiempo.
Quiero proponer que el sentido de la vida humana se encuentra en nuestro Creador. Dios nos creó con una naturaleza particular, un propósito particular y un destino particular. Toda la tragedia de la existencia y la muerte tiene sentido dentro del cuadro mayor de la creación de Dios.
Dios nos creó. Formó al primer hombre del polvo de la tierra, un ser perfecto con todos los órganos perfectos: corazón, cerebro, pulmones, riñones, hígado, etc. Entonces Dios sopló sobre este cuerpo inerte el aliento de vida, “y fue el hombre un ser viviente” (ver Génesis 2:7).
Este ser viviente, según la Biblia, es un todo indivisible. El alma no tiene existencia consciente fuera del cuerpo. Todo el ser humano, “espíritu, alma y cuerpo” debe ser santificado por Dios (ver 1 Tesalonicenses 5:23). El cuerpo, alma y espíritu funcionan en estrecha cooperación, todo formado por Dios y a su imagen (Génesis 1:27).
Encuentre su propósito en Dios
Si hemos de encontrar significado a nuestra vida, será en el mismo lugar donde fuimos creados en el principio. Y fuimos creados con varios propósitos:
1. Fuimos creados para amar y establecer relaciones.
Dios dijo: “No es bueno que el hombre esté solo” (Génesis 2:18), y creó a Eva. Las relaciones con otros seres humanos nos permiten dar y recibir amor, y nos dan la oportunidad de vivir por los demás, no únicamente por nosotros mismos. Para vivir plenamente, tenemos que establecer relaciones armoniosas con los demás seres humanos y con Dios mismo. Lea los Diez Mandamientos y notará que los cuatro primeros tratan de nuestra relación con Dios, y los últimos seis tratan de nuestra relación con otras personas (ver Éxodo 20).
2. Fuimos creados para ser mayordomos o representantes de Dios.
La Biblia dice: “Entonces dijo Dios: Hagamos al hombre a nuestra imagen, conforme a nuestra semejanza; y señoree en los peces del mar, en las aves de los cielos, en las bestias, en toda la tierra, y en todo animal que se arrastra sobre la tierra” (Génesis 1:26). Aquí se menciona que el hombre fue creado a la semejanza de Dios para servir como su representante ante el resto de la creación. Aceptar este concepto nos hace vernos como agentes del bien en un mundo de dolor y quebrantamiento.
3. Fuimos creados para adorar.
Aunque fuimos creados a la semejanza de Dios, existe una distancia insalvable entre el Creador y sus criaturas. Ante la grandeza y omnipotencia divinas, la respuesta natural e instintiva de nuestro corazón es la adoración. Todo grupo humano tiene el instinto de adorar. Negar este instinto representa ahogar parte de lo que somos. La adoración a uno mismo o a posesiones o símbolos de grandeza humana, son pobres sustitutos de nuestra necesidad íntima de adorar al Creador. Muchas personas viven vidas vacías por ignorar su condición de criaturas de un Dios vivo.
No es extraño entonces que, en la profecía de Apocalipsis, el último mensaje profético al mundo antes del regreso de Jesús a esta tierra dice: “Temed a Dios, y dadle gloria, porque la hora de su juicio ha llegado; y adorad a aquel que hizo el cielo y la tierra, el mar y las fuentes de las aguas” (Apocalipsis 14:7).
4. Fuimos creados para vivir eternamente.
Jesús claramente dijo: “El que cree en mí, tiene vida eterna” (S. Juan 6:47). Jesús exigía fe de parte de sus seguidores. Siempre es posible dudar, y siempre es posible creer. Creer es un requisito de la vida espiritual porque involucra todas las facultades de la persona. Es asunto del intelecto como también del corazón. Y en el centro del desafío cristiano a creer se encuentra Jesús, quien hace lo que no esperamos, quien responde a nuestras preguntas más crudas con el silencio de la cruz.
Una de las historias más impactantes del Nuevo Testamento, que mejor presenta la tensión entre la fe y la incredulidad, es el relato de la resurrección de Lázaro (S. Juan 11). Allí estaban dos hermanas y un enfermo de gravedad. Envían a buscar a Jesús, amigo y benefactor de la familia, pero Jesús no viene. Marta y María expresan su resentimiento. Ambas aman a Jesús; saben que su poder y su discernimiento son claramente sobrenaturales. Han sido transformadas por él. Sin embargo, ante el terrible impacto de la muerte de su hermano, la fe se mezcla con crítica, dolor y una chispa de esperanza.
“Todo lo que pidas a Dios, Dios te lo dará” adelanta Marta (vers. 22). “Tu hermano resucitará” dijo el Maestro (vers. 23). Y ella limita su fe aludiendo a la resurrección en el día postrero. Pero Jesucristo le responde con una de sus aseveraciones más atrevidas y desafiantes: “Yo soy la resurrección y la vida; el que cree en mí, aunque esté muerto, vivirá. Y todo aquel que vive y cree en mí, no morirá eternamente. ¿Crees esto?”—le preguntó el Maestro a Marta (vers. 25, 26). Y lo mismo nos pregunta a nosotros hoy.
La vida eterna se encuentra en Jesús. Fuimos creados para vivir con Dios, como sus hijos amados. La sentencia bíblica sobre el tema más importante de todos, la vida, es extraordinariamente sencilla: Apartarnos de Dios siempre causa muerte. La rebelión de Adán y Eva en el principio abrió la puerta a la muerte por quebrantar la relación estrecha y perfecta entre el hombre y Dios. Jesús vino a restaurar esa relación.
La vida eterna y plena depende de una relación de fe con el Hijo de Dios. El apóstol Juan lo resumió en términos inconfundibles. “Y este es el testimonio: que Dios nos ha dado vida eterna; y esta vida está en su Hijo. El que tiene al Hijo, tiene la vida; el que no tiene al Hijo de Dios no tiene la vida” (1 Juan 5:11, 12).
Hoy podemos vivir una vida de calidad eterna. En unión con Jesús, podemos esperar confiadamente la redención de nuestro cuerpo mortal. Y un día, a su venida, nuestros cuerpos serán físicamente transformados para vivir con él por la eternidad.
El apóstol Pablo expresó la gran esperanza del creyente cuando escribió:
“La carne y la sangre no pueden heredar el reino de Dios, ni la corrupción hereda la incorrupción… Todos seremos transformados, en un momento, en un abrir y cerrar de ojos, a la final trompeta; porque se tocará la trompeta, y los muertos serán resucitados incorruptibles, y nosotros seremos transformados. Porque es necesario que esto corruptible se vista de incorrupción, y esto mortal se vista de inmortalidad. Y cuando esto corruptible se haya vestido de incorrupción, y esto mortal se haya vestido de inmortalidad, entonces se cumplirá la palabra que está escrita: Sorbida es la muerte en victoria. ¿Dónde está, oh muerte, tu aguijón? ¿Dónde, oh sepulcro, tu victoria?” (1 Corintios 15:50-55).
Después de muchos años de reflexión, yo me aferro más que nunca a esta esperanza. ¿Y usted?

1-Peter Metcalf y Richard Huntington, Celebrations of Death: The Anthropology of Mortuary Rituals (Cambridge, Inglaterra: Cambridge University Press, 1991), p. 25.
2-Franz Kafka, Aphorisms, (1918), p. 48. Ver en: http://en.wikiquote.org/wiki/Franz_Kafka.
3-Ernest Hemingway, Por quién doblan las campanas (primera edición en inglés, 1940).
FUENTE

Jono Lancaster

Britânico com rosto desfigurado quer chamar atenção para síndrome rara
Vanessa Barford
da BBC
Em programa da BBC, Jono Lancaster conta que sofreu de depressão na adolescência
Um jovem britânico que sofre de uma síndrome rara que provoca o desfiguramento do rosto está chamando atenção para o drama dos portadores da condição
Jono Lancaster, de 26 anos, nasceu com a síndrome de Treacher Collins, que afeta um em cada dez mil bebês na Grã-Bretanha, e contou sua história de sofrimento e superação em um documentário da BBC, Love Me, Love My Face (Ame-me, ame minha face).
Jono, que foi dado para adoção pelos pais com 36 horas de vida, sofre de um problema genético que afeta a forma com que os ossos da face se desenvolvem enquanto o bebê ainda está no útero.
A síndrome de Treacher Collins faz com que seus portadores não tenham ossos malares, consequentemente os olhos ficam caídos. Jono também tem problemas de audição e usa um aparelho implantado em seu osso.
O jovem britânico teve que passar por várias cirurgias, consultas em hospitais e, apesar de hoje estar feliz com seu emprego e sua namorada, Jono sofreu de depressão durante a adolescência.
"Eu era desesperado para ter amigos, eu fazia qualquer coisa. Eu não tinha confiança, comprava muitos doces e entregava para outras crianças, para que elas gostassem de mim. Acabei fazendo muitas coisas estúpidas, para que as pessoas falassem a meu respeito por uma razão que não fosse a minha aparência", disse à BBC.
Mãe adotiva
Jono foi adotado e seus problemas de comportamento na escola pioravam. No entanto, ele afirma que apenas ficava cada vez mais solitário.
"Eu costumava esconder minha infelicidade de minha mãe. Ela já tinha feito tanto por mim", disse.
O jovem se isolava em casa e chegava a cortar o próprio cabelo para não ter que se olhar no espelho em um local público. No entanto, sua vida começou a mudar quando recebeu uma oferta de emprego em um bar.
"Eu suava muito antes de cada turno de trabalho, ficava muito nervoso, com medo da reação das pessoas."
"Não foi fácil, mas, ao mesmo tempo, encontrei tantas pessoas legais que ficaram verdadeiramente interessadas em mim e no meu rosto."
O novo emprego deu a Jono confiança para começar a ir em encontros com garotas e arrumar um novo trabalho, em uma academia de ginástica.
E, no novo emprego, o jovem encontrou Laura Richardson, 20, sua namorada há quatro anos.
"Ela disse que, quando me viu pela primeira vez, notou meu rosto, mas agora ela não nota mais. Foi a primeira vez que consegui ser eu mesmo com uma garota."
Jono encontrou sua namorada na academia de ginástica onde trabalha
"E olhe para nós, quatro anos depois, compramos uma casa juntos (...). Estamos completamente apaixonados."
Pais biológicos
Em 2009, Jono tentou entrar em contato com seus pais biológicos pela segunda vez.
"Era algo que eu sempre quis fazer. Quando era adolescente, eu estava com raiva e queria encontrá-los pela razão errada, para perguntar porque eles me abandonaram. Mas, ao ficar mais maduro, percebi que eles obviamente acharam que não dariam conta."
No entanto, os pais biológicos de Jono se recusaram novamente a encontrá-lo.
"Foi horrível, horrível. Chorei muito. Mas me acertei com isso. Deve ter sido uma das decisões mais difíceis da vida deles."
O jovem descobriu que a família teve outros dois filhos depois dele.
"Fico feliz que eles tenham uma família. Estou feliz e espero que eles estejam também", afirmou.
Ajuda e filhos
Jono, que hoje trabalha com adultos que sofrem de autismo, afirma que quer que as pessoas tenham mais informações a respeito da síndrome de Treacher Collins e como lidar com o problema.
"O que realmente me deixa frustrado e me preocupa é quando uma criança em um supermercado me encara e a mãe dela fala para não olhar."
"Eu queria que eles viessem falar comigo então eu poderia falar sobre o problema, para que tudo parecesse mais normal."
O jovem também quer ajudar outras famílias em situação parecida com a dele. Mas, Jono ainda tem outra preocupação, a possibilidade de que seu filho herde o problema.
Apesar de a síndrome Treacher Collins ser um problema genético raro que pode afetar qualquer pessoa, as chances de Jono passar o problema para seus filhos são de 50%. E o jovem se pergunta se poderá expor seu filho à possibilidade de "operações, consultas no hospital e bullying".
"Eu fico imaginando, me deixa louco. Ainda somos jovens, ainda há muito tempo, mas é algo que eu e Laura teremos que pensar em algum momento."
Médicos perguntaram a Jono se ele gostaria de fazer alguma cirurgia para corrigir seu problema, mas ele se recusou.
"Médicos sempre me perguntaram se eu queria a cirurgia... a construção dos ossos malares, ter meus dentes endireitados ou minha mandíbula quebrada e realinhada, mas apesar da minha depressão, eu penso 'Deus me fez assim'", afirmou.
"Fico feliz de não ter escolhido nada disso. Tenho orgulho de quem sou. E (a síndrome de) Treacher Collins me transformou no que sou."